Quanto custa um gibi

Quanto custa um gibi no Brasil?

Escrito por | Artigos, Quadrinhos

Por que no Brasil a coisa é tão complicada?

Faz anos que as editoras sofrem com o formato de venda das histórias em quadrinhos no Brasil, por isso descobrir quanto custa um gibi é complicado. Uma das maiores maldições, e talvez a salvação do mercado nacional, foi instaurado pelo Grupo Abril que criou o famoso mix de revistas que acompanhavam uma história que você realmente queria ver e mais duas ou três que você nem pensou em comprar e/ou de péssima qualidade. Infelizmente isto se tornou padrão desde então.

Não tem sido fácil para mim, em Guerras Secretas, último evento da Marvel publicado no Brasil que tentei acompanhar, foi a gota d’água: irei mais uma vez reduzir os quadrinhos que compro devido a qualidade, pelo mix injusto e pelo preço praticado. O formato do evento foi complicado mesmo, foram meses e mais meses publicando histórias em realidades alternativas mensalmente, exaustivo para a área editorial e para os fãs. No original americano tudo foi publicado individualmente como sempre… no Brasil foram diversos encadernados com sagas completas e valores altos.

É uma questão complicada, o custo da impressão varia muito de acordo com o fornecedor, qualidade e até o frete da distribuição pode transformar tudo em um pesadelo financeiro. 

Quanto custa um gibi no Brasil? - Panini ComicsMas quanto custa um gibi?

Não encontrei um bom cálculo para pegarmos como parâmetro de comparação de diversos títulos e seus custos. Pegar o total e dividir pelo número de páginas me pareceu a solução lógica e mais simples para se avaliar o que é melhor ou pior, independente da qualidade.

A questão é o valor pago por página nos quadrinhos da Panini detentora das principais publicações da Marvel e DC. Uso como exemplo quadrinhos que eu realmente comprei nos meses finais de 2016 para verificarmos a discrepância dos valores, de um gibi mainstream para outro título um pouco mais modesto de público.

  • Homem Aranha: Aranhaverso #006 – 156 páginas – R$ 18,50 – Valor por página R$ 0,11
  • Batman: Cavaleiro das Trevas III – A Raça Superior # 5 – 36 páginas – R$ 9,90*  – Valor por página R$ 0,27
  • Star Wars: Darth Vader #013 – 36 páginas – R$ 7,60  – Valor por página R$ 0,21
  • Star Wars #013 – 36 páginas – R$ 7,20 – Valor por página R$ 0,20
  • Avante Vingadores #001 – com 148 páginas – R$ 18,20 – Valor por página R$ 0,12
  • O Velho Logan #005 – 68 páginas – R$ 8,70 – Valor por página R$ 0,12
  • O Espetacular Homem Aranha #001 – 76 páginas – R$ 9,40  – Valor por página R$ 0,12
  • Os Vingadores #001 – 84 páginas – R$ 9,60 – Valor por página R$ 0,11
  • Guerras Secretas: Guerra Civil #001 – 132 páginas – R$ 17,50 – Valor por página R$ 0,13
  • Fábulas #22 – 164 páginas – R$ 26,90 – Valor por página R$ 0,16

* Acompanha ainda um curto gibi de 10 páginas individual em paralelo com a história principal com arte de Frank Miller. Possui capa em papel cartão e capas variantes.

Nesta simplória análise vemos que os títulos com maior apelo comercial são mais baratos quando se comparado o valor por página, talvez nestes casos o lucro para a Panini venha com a quantidade. Mas a disparidade entre os títulos assusta, o que faz Batman: Cavaleiro das Trevas III ter seu valor tão alto? Os títulos de Star Wars são praticamente o dobro dos outros quadrinhos Marvel.

Devemos avaliar alguns pontos, primeiramente a Panini obviamente possui acordos diferentes para Brasil e Portugal, tanto que os poucos títulos da DC que compro aparentemente não são distribuídos por lá. Os comics americanos costumam ser vendidos com cerca de 28 páginas por um valor de US$ 3,99 (cerca de R$ 0,45), o que não é barato, mas não é esse o problema. A editora nacional não tem o custo de produção do gibi… chega pronto para simplesmente traduzir e colocar as letrinhas no lugar… ou fazer alguma adaptação feia como o “os” do título Os Vingadores ou uma estilização na pintura de naves da nova Tropa Alfa para não aparecerem as siglas em inglês.

Os comics americanos sempre possuem publicidade, o que deveria reduzir um pouco o quanto custa um gibi… mas não é isso que ocorre. Se praticados o valor dos EUA em um gibi nacional o valor de O Espetacular Homem Aranha ficaria R$ 34,20 no lugar dos R$ 9,40. O valor do dólar no Brasil também afeta o quanto custa um gibi na banca de jornal, mas nada justifica essa discrepância de preços tão grande em um mercado que comercializa e não produz nada.

Quanto custa um gibi no Brasil? - Social Comics

Problemas e soluções

Inexistência de anúncios?

Ao se adquirir um quadrinho da Panini você logo vê que existem páginas sobrando que eles simplesmente colocam uma arte relacionada ao gibi. Pode ser uma capa alternativa ou um rascunho do artista, na capa de fundo também são inventivos quanto ao seu conteúdo. Normalmente vemos uma das capas do mix, isto não passa de uma solução simples para encobrir a falta de anunciantes. 

A publicidade é uma parte importante da formação do preço de capa e as editoras no Brasil falham miseravelmente neste requisito. Quando a Marvel está para lançar algum filme eles até conseguem publicar uma propaganda relacionada, mas não é sempre pelo que pude constatar em meus próprios gibis. Lembro que a Abril era um pouco melhor nisso, achocolatados e até propaganda de marca de roupas de surfista (?) eram anunciados em seus quadrinhos.

A falta de anunciantes e a provável fragilidade da área comercial de qualquer editora irá afetar diretamente o quanto custa um gibi.

Novo Mix com consulta do público

Se o mix de revistas é necessário que siga o que o mercado pede e não o que eles pensam ser correto para otimizar seu lucro. Deviam entender que um título com Vingadores no nome não significa que uma pessoa gostará de todos… eu mesmo ando meio órfão de um gibi dos Vingadores. O mix atual não me agrada e eu era muito fã da fase de Robert Kirkman, como ele saiu de Vingadores após Guerras Secretas eu fiquei sem gibi favorito mensal. Pensei em acompanhar as histórias dos Supremos, mas pagar US Avengers (não lembro o nome em português) e não ler me parece descabido. Quanto custa um gibi que eu compro sem querer ler? 

O mix deveria publicar uma revista com as três histórias ou títulos americanos mais votados com maior tiragem, outros títulos da mesma forma, mas com menos tiragem. Mas não, hoje juntam um título chamativo com outros que ninguém dá bola.

Quadrinhos digitais

As vantagens dos quadrinhos digitais são absurdas, sem o custo de impressão e precisando apenas de uma tradução a Panini poderia lançar um aplicativo exclusivo e deixaria que seus usuários comprassem apenas a história que querem realmente. Mas isso é coisa do futuro e a editora gosta mesmo de enviar gibis pelo correio em embalagens toscas.

O Social Comics tem ganho destaque graças a publicidade de seus donos do Omelete, parecem fazer o serviço corretamente aqui no Brasil apesar do valor alto para o assinante. Os R$ 19,90 por mês é o mesmo valor cobrado que o Netflix por exemplo, que tem muito mais conteúdo de franquias muito maiores e caras. Se não fosse pelo valor seria bem interessante visto que os aplicativos internacionais normalmente cobram por edição e não pela assinatura. Salvo o caso de serviços específicos como o Marvel Unlimited que custa US$ 10,00 por mês e que também não vale a pena para os brasileiros.

De todo o jeito uma história em quadrinhos digital tem um custo muito mais reduzido do que o impresso por motivos óbvios, acho estranho nenhuma empresa embarcar neste meio de publicações e realmente repassar o desconto que o digital tem sobre o impresso.

Um dos grandes poréns também é que gibi digital não pega poeira na prateleira e como colecionador digo que isto é triste.

Raridades

No Brasil perguntar quanto custa um gibi supostamente raro pode criar uma grande confusão, afinal é um mercado totalmente aberto e literalmente cada um coloca o preço que deseja. 

Vamos dos sebos que vendem gibis a granel até sites que vendem alguns exemplares por valores que se poderia comprar carros. O brasileiro no geral não é um povo que faz coleções ou guardar antiguidades independente do valor ou o tema. Até pouco tempo atrás era comum quando o colecionador se casava – afinal era coisa de menino – a coleção ficava na casa dos pais e frequentemente eram doados ou simplesmente jogados fora.

Tive a sorte por suas vezes de ser o escolhido para receber tal herança de duas pessoas diferentes, isso na década de 80 e 90, hoje a coisa anda diferente. Colecionadores brotam e procuram antiguidades em todo o lugar… porém o mercado de quadrinhos brasileiro é recente e as coisas realmente antigas, anteriores à EBAL por exemplo, são artigos raríssimos e com valores altos mesmo assim incomparáveis aos valores dos comics americanos.

Colocar um valor em algo raro é difícil, dizer quanto custa um gibi realmente raro no Brasil é quase impossível.

A realidade dói

Toda e qualquer empresa visa apenas uma coisa: o lucro. Adotar novas tecnologias que baratearam os gibis para o público só quando elas forem obsoletas no resto do mundo, afinal aí se pagaria mais barato por ela e o público ainda ficaria feliz em pagar mais caro por uma novidade velha, otimizando o lucro.

Gostaria de poder discutir melhor quanto custa um gibi, talvez se a Panini não dominasse a licença das duas principais editoras no mundo a coisa seria diferente aqui no Brasil. Se houvesse uma real concorrência até os artistas nacionais teriam melhor visualização que não fosse fazer histórias da Turma da Mônica. O Social Comics até tenta fazer isso mas sem publicidade para os títulos, apenas para o serviço em si.

Qual foi a última HQ nacional que você leu que realmente gostou? Sinceramente eu não me lembro e uma gigante procurando novo mercado editorial poderia muito bem adotar alguns talentos nacionais para tentar desbancar os comics americanos… assim eu falaria menos da Marvel. Já pensou?

Última alteração: 24/4/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *