Mass Effect Andromeda nos venderam um jogo inacabado

Mass Effect Andromeda: nos venderam um jogo inacabado

Escrito por | Games


Mass Effect Andromeda: nos venderam um jogo inacabado

Recentemente o site Kotaku publicou um interessante texto do autor Jason Schreier, especialista no mercado de games e muito influente com diversas produtoras. Ele está prestes à lançar um livro sobre histórias dos bastidores de diversos jogos míticos como o não lançado Star Wars 1313, o encalacrado Destiny e o aclamado The Witcher 3. Mas não foi nenhum desses casos que me chamou a atenção, o autor teve conversas com diversos funcionários da BioWare Montreal responsável pelo caótico Mass Effect Andromeda.

O artigo de Jason data acontecimentos desde a pré-produção do game até a sua finalização. Apesar de não apontar um culpado pela tragédia que é o jogo acredito que exista sim um culpado. Alguém que mandou os poucos animadores e os estúdios terceirizados fazer a animação desse jeito. A culpa é indiscutivelmente do cargo mais alto do projeto, se não de seu diretor, do diretor da BioWare ou EA que decidiu deixar dessa forma bugada para o cliente final.

Apesar disso quem saiu perdendo mesmo fomos nós, os fãs.

Mass Effect Andromeda nos venderam um jogo inacabado

Como Mass Effect Andromeda começou

O autor conversou com diversas pessoas ligadas ao projeto, obviamente elas não quiseram se identificar para evitar qualquer tipo de retaliação da BioWare ou EA. Um desses entrevistados mostrou que a equipe, apesar de competente, estava perdida. Com diversas mudanças no software de desenvolvimento do jogo as coisas que deveriam se encaminhar melhor foram deixadas de lado.

Inicialmente Mass Effect Andromeda teria um sistema de exploração espacial parecido com o que existe em No Man’s Sky, mas isto logo se tornou um problema. As ferramentas para a criação dos planetas e sua geografia não conversavam bem com o resto das mecânicas do jogo. Em um relato ainda foi dito que esta parte exploratória era interessante mas não encontraram um ponto onde ela seria divertida para o jogador. Então ele foi cortado do projeto, mas o projeto não parou.

Com as mecânicas de combate, multiplayer e direção prontas a BioWare teve que altera-los, ou atrasa-los, por conta da parte exploratória que acabará de ser removida do jogo. Isso atrasou boa parte do conteúdo como história, masmorras e cinemáticas. A agenda da pré-produção era uma bagunça – conta o autor.

Para ajudar também existiu o trabalho em conjunto de outros estúdios da BioWare. Montreal e Edmonton ficam no Canadá mas Austin fica nos EUA, por conta de fuso horário e agendas as vezes marcar uma reunião para escolher a cor da roupa do protagonista era com que poderia levar horas. Sem falar que o projeto terceirizou várias partes do processo para desenvolvedores do mundo todo, África, China, Índia, Rússia, entre outros países. Agendar reuniões entre as equipes de produção poderia ser algo caótico.

Mass Effect Andromeda nos venderam um jogo inacabado

O Downgrade

A mudança de ferramentas gráficas foi absurda e custou muito do projeto; efeitos de luz, animações consumindo muita memória entre outros fatores foram barreiras encontradas. Algo a ser notado é que o downgrade ocorre em fases iniciais de produção e não com o jogo quase pronto.

Na verdade podemos identificar dois downgrades, o primeiro e gritante é quanto a mudança da ferramenta gráfica. Não sei dar nomes aos bois mais é visível a diferença da versão “vazada” para a versão lançada.

O segundo é menos crítico mas mostra a índole dos desenvolvedores. É o mais clássico exemplo da venda de gato por lebre: o jogo muito mais detalhado no trailer é apenas uma sombra do que foi efetivamente lançado no mercado.

O produto final

Um dos membros da equipe de desenvolvimento teria dito que o resultado final do jogo é o que foi feito apenas nos últimos dois anos no lugar de tomar cinco anos completos. Jason ainda calculou junto de uma de suas fontes que o trabalho todo fora feito em cerca de 18 meses apenas. Segundo a fonte o jogo tem muito da versão inicial do projeto: Ryder como protagonista, SAM como a IA implantada em Ryder e a sequência final que traria o gancho para a sequência.

Mas é claro que precisamos falar da animação facial. Aparentemente os desenvolvedores dos diversos estúdios envolvidos divergiam quanto qual seria o melhor software para o desenvolvimento da animação facial dos personagens. Toda a tecnologia que seria utilizada no projeto deveria ter sido escolhida na pré-produção, três anos antes em teoria e não ficar discutindo qual seria o melhor caminho nessa fase de execução do projeto.

As alterações na engenharia do game traria grandes mudanças à toda estrutura… e trouxe, principalmente na parte da animação facial. E não pense que isto foi algo inexplicável ou q ocorreu da noite para o dia. Uma das fontes informou que em 2014 a animação facial foi citada como um dos riscos do projeto. Isso mesmo, eles sabiam bem antes do lançamento que as animações faciais eram problemáticas em Mess Mass Effect Andromeda.

E mesmo sabendo dos problemas venderam o jogo para mim e para você. A Bioware e a EA sabiam de tudo o que você iria reclamar e mesmo assim colocou o jogo na pré-venda, para ganhar dinheiro antes do jogo cheio de bugs fosse lançado.

Mass Effect Andromeda nos venderam um jogo inacabado

Concluindo

Nos foi vendido um game inacabado de proposito. Eles queriam nosso dinheiro não importando a qualidade do produto de maneira inescrupulosa e desrespeitosa com os fãs da série.

Patches para resolver alguns bugs, mais opções de romance, melhores animações não saíram com muita frequência pois o resultado ruim da crítica de Mass Effect Andromeda fez com que a BioWare Montreal fosse reduzida mais ainda. Assim qualquer DLC ou até mesmo uma continuação não estão nos planos das desenvolvedores. Obviamente a EA e a BioWare não quiseram comentar o artigo de Kotaku.

Se fosse um bolo feito com produtos estragados poderíamos passar mal e vomitar o bolo de volta, como é algo digital não temos como vomita-lo no prato da BioWare/EA.

Veja mais...


Última alteração: 26 de abril de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.