Categorias
Pensamento

Tick, tick…

O meu tick, tick parece que não tem BOOM.

Farofeiros, farofeires e farofeiras, odeio musicais de todos os tipo, mas neste fim de semana vi um que gostei. O filme tick, tick…BOOM! foi uma experiência surpreendente para mim, tanto que resolvi não fazer um review. Foi uma experiência muito íntima, de uma forma que dificilmente tenho com um filme.

Tenho 41 anos e tenho um blog que noticia na internet quem é o Capitão Krakoa. Quase morri algumas vezes na última década, mas não é assunto para este momento. É importante lembrar que, apesar de tudo que passei e compartilhei aqui ou em redes sociais, este não sou eu, não é o que me sustenta, não é a minha vida, mas é algo que amo fazer. Do meu jeito, sem dinheiro e de gosto duvidoso (do meu gosto).

Não perdi ninguém como Larson perdeu, mas também não tive o apoio de alguém famoso no meio mandando começar um novo projeto. Tenho o blog, tenho meu Superbia, mas ninguém elogia muito mas é o que tenho feito nos últimos 20 anos (AH MEO DEOLS). Onde isso irá me levar e se irá me levar à algum lugar? Sei lá.

Andrew Garfield - Jonathan Larson - Tick Tick Boom - Netflix - www.farofeiros.com.br

Conheci muita gente, fiz muitas coisas legais, perdi amizades, falei merda e transformei boa parte disso em textos. As vezes fora de contexto, mas de um jeito que alguém, de uma maneira ou de outra, poderia se identificar de alguma forma algum dia. Ou não.

Ah, e acho importante dizer aqui que não estou me comparando com ninguém. Não acho que tenho o talento de Larson, mas o que ele passou – pelo menos as que mostram no filme – são coisas que pude me identificar. De uma maneira assustadora, mas pude.

O filme? Não sei dizer se é bom não, por ter tantas cenas que me fisgaram emocionalmente não consigo criticá-lo. Seria injusto com o filme e talvez comigo mesmo… O meu tick, tick tem andado de maneira lenta e bem enrolada e, na verdade, nem sei se um dia verei um BOOM de verdade (ou se isso acontecerá depois que me for).

De verdade, não sei onde as coisas que faço irão me levar. 2020 me levou para um lugar muito maluco e 2022 promete ser ainda mais doido. Enquanto isso continuo aqui, jogando coisas na parede esperando que alguma delas grude.

Pensamento do Dia

Pensamento - Jonathan Larson - www.farofeiros.com.br

Não sei o que é um bronteroc, mas sou tarado por vacina.

Por Rodrigo Castro

Guru de bobajada, coach de piadas sem graça e sommelier de ironia. Também é leitor de gibi e jogador profissional de videogames no easy.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.