Categorias
Quadrinhos

Planet Size X-Men #1 é bom demais da conta

Li Planet Size X-Men #1 e olha só o que aconteceu!

Tempo e dinheiro curtos em época da pandemia prejudicaram diversos hobbies meus e a leitura de quadrinhos ficou reduzida demais. Para minha sorte tenho tido sorte com o pouco que consumo nos últimos tempos e, preciso confessar, X-Men tem sido um deleite para mim de diversas formas. A trama que Jonathan Hickman engenhou por enquanto tem me surpreendido e me divertido – o que é raro hoje em dia – e Planet Size X-Men #1, lançada nos EUA dia 17 de Junho de 2016 é mais um bom exemplo disso.

A edição planetária extra de X-Men com a espetacular arte de Pepe Larraz que quase me fez esquecer da cisma que tenho com o argumento de Gerry Duggan. As cores de Marte Garcia deixam tudo mais incrível ainda, mas não, não é só a arte que se destaca nessa edição. Emma Frost diz algo sobre a Hellfire Gala que posso me apropriar para esta edição, este é um daqueles momentos que você se pergunta “onde você estava quando aconteceu. E seria uma pena se sua mente fechada o deixasse fora disso.

Infelizmente não há como escapar de spoilers para contar o quão grandioso é Planet Size X-Men #1. Desculpe, mas prometo que não entregarei os detalhes.

Esta edição não mostra uma trama extremamente elaborada cheia de reviravoltas. Também não há combates sanguinários de espadas nem ressurreições de gente morta há muito tempo. Na verdade posso dizer claramente que esta edição trata de fogos de artifício.

Tudo começa com Magneto com um plano para resolver a questão arakkii, ou melhor, remediar toda a perda que esse mutantes sofreram por tanto tempo no Otherworld. Os Arakkii são naturalmente guerreiros e dificilmente entendem os motivos de eles, uma raça guerreira superior, ter que se guiar pelas leis dos humanos. O mestre do magnetismo então sugere uma solução no lugar de guerra.

O planeta Terra é hoje a casa dos mutantes, mas Magneto acredita que o futuro dos mutantes no espaço – ele acredita que seja preciso transformar o amanhã em hoje. O domínio mutante não deve se limitar à Terra, mas deve abraçar o Sistema Solar, ou Sol, como um todo.

Planet Size X-Men #1 mostra os mais poderosos mutantes de Arakko e Krakoa trabalhando juntos para transformar um lugar inóspito não apenas no novo lar dos arakkii, mas na capital do sistema. Novos desafios aguardam esses guerreiros: a paz e a diplomacia intergaláctica.

Planet Size X-Men #1 - Magneto - Blog Farofeiros

Adotando toda sinergia mutante que hoje é explorada nos quadrinhos da Marvel Comics temo uma demonstração de poder quando além de terraformar Marte, a ilha Arakko inteira é teletransportada para aquele local. Agora a vida mutante floresce no planeta vermelho – contando com espaço porto e até uma segunda estação da SWORD.

Mas diante de tudo isso o que me surpreende mesmo é que esta aventura não possui ação. Você não irá ver armas mutantes de destruição sendo construídas, apenas uma comunidade se unindo para tornar seu lar – e o sistema solar – um lugar melhor para todos.

Sabemos que nem todos pensam da mesma maneira, e sabemos também que algo deve acontecer em breve. Mas hoje, esta edição mostra apenas o que os humanos podem sonhar em construir e erguer no universo da Marvel Comics.

O planeta vermelho comunista se tornando a capital do sistema solar da noite para o dia deverá irritar muitos humanos conservadores hein?

Por Rodrigo Castro

Guru de bobajada, coach de piadas sem graça e sommelier de ironia. Também é leitor de gibi e jogador profissional de videogames no easy.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.