Categorias
Pensamento

Humildade da humanidade

Farofeiros e farofeiras, tenho passado por diversas crises de identidade monstruosamente solidificadas pela ansiedade de trocar algumas moléculas do pescoço de algumas pessoas para que elas consigam pelo menos visualmente serem humildes.

É tão bom assim se julgar superior e vencer sempre? Como um ser pode dar tanta importância a uma vitória sendo que elas são mínimas sendo que as derrotas que te fazem ser o que é. Pessoas que só vencem não são vitoriosos, são mimados e mesquinhos. Gente mimada suga sua energia, cospe na sua cara, xinga a sua mãe, faz macumba para seu pai e ainda avisa que o filho que abortou é seu apenas para te fazer se sentir derrotado, aniquilado, extorquido, arrasado, esgotado, arrasado, atropelado e, por que não, acarpetado pela falta de auto estima, faz falta uma alta estima nestes momentos.

Em um vômito sentido vindo do intestino lhes sugiro que âmbito de atuação de tal espécie é mais abrangente universalmente do que a de outros tipo já classificados pela ciência e religião utilizada neste planeta. Mesmo que o pensamento recorrente seja derivado de algo mais subjetivo e exposto a larga duração de grandes expectativas e o surgimento de decepções igualmente volumosas devido ao volume de sua categoria a ser informada para a Receita Federal e todos os órgãos que a digerirem. No sentido figurado a figura exposta pode ser figurativa desde que seja figurado antes de figurar a figura toda dentro do espaço consciente da figuração a ser figurada na figura.

Mas o pensamento é interessante, o que esse tipo de ser ganha? Uma risada? Um certificado de idiota? Uma carteirinha de imbecil dando 50% de desconto no cinema? Uma batata frita média? Um chaveiro do Homem de Ferro? Uma diária em um hotel em Campos do Jordão? Se é promoção tem promocinho? Um pacote de bolacha e um de biscoito?

E se eu estiver errado e este indivíduo não querer a desgraça alheia mas sim sua atenção? O pensamento que deveria ser seguido é o de somar ou sumir, pare de ocupar o tempo e espaço de outra pessoa, mas você pode falar comumente para que a pessoa deva cuidar da vida dela. É mais sem graça e simplório, mas funciona e nem precisa tirar a mesa da sala para sobrar espaço para soltar uma bufa dessas. Não sei os motivos e nem sei se você é uma pessoa assim, mas seu final é certo e confirmado pela numerologia: você vai acabar sozinha e infeliz. Quer apostar?

Pensamento do Dia

As coisas estranhas sempre acontecem longe de onde você vive

Por Rodrigo Castro

Guru de bobajada, coach de piadas sem graça e sommelier de ironia. Também é leitor de gibi e jogador profissional de videogames no easy.

Uma resposta em “Humildade da humanidade”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.