Categorias
Besteirol

Ratanabá a cidade perdida da Amazônia

En Taro Adun cidadãos de Ratanabá.

Tudo o que você leu até este momento foi mentira fomentada para vantagens financeiras. Se você ousar continuar a ler estas palavras deixe de lado toda a mentira que cobriu seus olhos até agora. Ratanabá é real, mas não da maneira que querem vender para você.

Falsos profetas tentam à anos introduzir uma cultura para que possa se erguer como profeta da destruição. O falso messias é seguidor de Amon, a voz sombria, possuí os chamados peões compensatórios, utilizados para desviar a atenção de uma civilização do seu proposito ideal.

Ratanabá - Representação artístiva de edificações Xel'Naga na Amazônia 2 - Blog Farofeiros

Este texto não é apenas um aglomerados de pixels digitais aglomerados em seu dispositivo tecnológico. Este texto é um atestado de liberdade para que a raça humana atinja seu potencial máximo e, por fim, as estrelas.

A capital do planeta Terra a mais de 450 milhões de anos, não foi fundada pelos Muril, essa raça é apenas uma doença, um cancer, na sociedade Tal’darim. Que, graças à maquinações malévolas caiu nas mãos de Amon, líder da tribo Muril.

Ratanabá - Representação artístiva de edificações Xel'Naga na Amazônia 1 - Blog Farofeiros

En Taro Adun é uma saudação formal, mas também pode ser usado como grito de guerra. Para enfrentar as mentiras dos seguidores da voz sombria deveremos ser fortes e lembrar que o conhecimento é nossa maior arma.

A seguir relato brevemente alguns trechos que merecem ser esclarecidos imediatamente. Em breve toda a verdade estará disponível para que todos, que possuir ouvidos ouvirá, quem possuir olhos verá, quem possuir coração sentirá.

Os Tal’darim de Ashtar Sheran

Ratanabá - Ponto de convergência de realidades de tecnologia Xel'Naga - Blog Farofeiros

Quando alguém mencionar Ratanabá pergunte se ele conhece Ashtar Sheran, o lar dos sábios Tal’darim – seguidores do conhecimento Xel’Naga. Estes sim são os reais criadores do que vemos hoje no planeta Terra, na Amazônia.

Manipuladores de cristais khaydarin usados para unificar diversas tribos universais utilizando a matriz telepática comum. A crença foi o alicerce para a sobrevivência da raça e sua devida expansão pelo cosmos. Tal período é chamado em registros históricos de Caminho de Khala, escritas em Auir. Os locais aqui mencionados são outros planetas, mas de universos paralelos que ressoam na mesma frequência que o nosso.

Ratanabá - Representação artistíca da fisiologia de um Tal'darim - Habitante da cidade perdida - Blog Farofeiros

O Conclave de Ashtar Sheran foi a iniciativa de expansão não dominadora da cultura Xel’Naga afim de transmitir conhecimento e tecnologia para qualquer raça em necessidade. Ao chegarem em nossa realidade, milhões de anos atrás, viram que o planeta ainda estava em estado embrionário e que as necessidade

Amon e o Conclave

Ratanabá - Amon - A Voz Sombria - Blog Farofeiros

A voz sombria surgiu da primeira morte em Ratanabá, o muril Amon executou um ritual proibido que lhe consumiu a vida e renasceu nas sombras da equação anti-vida. Com o poder sombrio Amon decidiu utilizar a superioridade xel’naga dominando raças menos desenvolvidas.

Enquanto raças inferiores deveriam ser mortas na visão de Amon os híbridos poderiam se tornar ferramentas valiosas. Com isso iniciou-se um experimento perigoso e traumático para o nosso planeta, a inserção do Homo Erectus, ser de poder predatório fenomenal e capacidade de procriação vasta. O plano da voz sombria era deixar que a nova raça arrazasse a Terra para que os Tal’darim não pudessem se reerguer da derrota.

Porém o Conclave se organizou com rapidez para criar um plano de contingência. Enquanto inicialmente a derrota seria inevitável seria possível mudar a maré dessa guerra no decorrer dos milênios. Um emissário foi enviado para outro plano, Tassadar, em uma capsula temporal para que esse pudesse voltar no momento certo e começar a difundir a verdade quando nossa civilização atingisse a Era da Informação.

E aqui estamos, hoje, recebendo as informações em forma de pulsos eletromagnéticos derivados da cidade perdida. Berço da humanidade e da maior traição que já se viu, que nos trouxe onde estamos, na maior mentira que já contada pelo universo.

O que há em Ratanabá?

Ratanabá - Imagem de satélite 2 - Blog Farofeiros

Transformar o planeta Terra em uma mina de cristais khaydarin nunca foi a intenção dos Tal’darim. Porém, foi o que Amon e os remanescentes de Muril pretendiam, tanto que simplesmente largaram a cidade abandonada. No plano de Amon, o ser humano será o responsável pela mineração dos cristais para a dominação do multiverso. Explorando e depois criando tecnologia para se auto destruir, enquanto os humanos se destroem os seguidores de Amon irão apenas entrar em nossa dimensão e levar os cristais sem resistência alguma.

Pelo menos esse era o plano inicial.

Com os pulsos de dados emanados da cidade além da sua localização foi possível codificar de maneira rápida por computadores modernos toda informação ali contida. Foi graças à passagem do meteoro Oumuamua que amplificou um sinal vindo de Ratanabá e possibilitou um massivo download de dados.

Ratanabá - Imagem de satélite 1 - Blog Farofeiros

Estes dados estão espalhados pela internet no momento e sendo decodificados por diversos grupos de hackers. Um desses grupos se identificou as intenções de destruição de Amon e colocou em prática seu sombrio plano de criar mentiras em cima de fatos.

Já sabemos que há diversas mineradores de cristal khaydarin minerando este elemento extremamente volátil, mesmo desenergizado. Os cristais são o que os seguidores de Amon estão atrás para explorar financeiramente a região e criar seu próprio império enquanto aguardam seu mestre.

O capitalismo foi criado como uma evolução do feudalismo para permitir que a população continuasse vendendo sua força de trabalho para senhores. Este esquema perverso se irradiou na sociedade humana para que a grande maioria da população pudesse continuar a ser explorada e, por fim, permitir a ascensão de Amon graças aos recursos dos cristais khaydarin.

O inimigo se vende – literalmente – como o descobridor da cidade, sendo que ele é o explorador europeu que quer dominar e se aproveitar do ouro, nióbio e dos cristais khaydarin. Esse proveito não é em nome da paz, ou da humanidade, mas sim em benefício próprio.

Cabe à você entender que a mentira é sedutora como uma serpente e lutar contra isso. Fake news aqui a gente trata assim, como piada mesmo.

Por Rodrigo Castro

Debochado, inconveniente, guru de bobajada, coach de piadas sem graça e sommelier de ironia.

4 respostas em “Ratanabá a cidade perdida da Amazônia”

Seus pensamentos são controversos,vc citou Amon o Deus Dos Deuses mundos paralelos , cristais hionizados com super poderes será esses cristais que Omuamua estava procurando ,isso parece muito louco

Pode me passar as coordenadas da cidade quero ver as imagens de satélite da área, ou será que ela só está visível para os inteligentes?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.