Categorias
Música

Preciso falar do Daft Punk

A separação de Daft Punk me obrigou a escrever. Desculpa.

A separação da dupla de Daft Punk pode ser apenas o epílogo de um novo começo. Como é comum aqui ultimamente, venho mais uma vez prestar uma breve homenagem à algo que realmente marcou minha breve vida. Não posso dizer que fui o maior fã da dupla, mas estou longe de ser o tipo de pessoa que ignorou sua existência.

Para mim a dupla ocupa um lugar esquisito ao lado de Gorillaz, meio sombrio, mas com música dançante, dentro do meu coração (ou o que deveria estar no lugar). Me vi na necessidade de escrever sobre a banda por esse motivo, como a banda chegou ao fim e nunca falei nela aqui no Blog Farofeiros? Bem, enquanto tomo mais uma dose do meu energético e ligo a playlist veja a mais recente – e tal vez última – postagem da dupla. Dramático no mínimo.

Como esquecer a fantástica trilha sonora de Tron? O filme já foi marcante (tão marcante que mal falei dele aqui, mas tudo bem), eu e meu irmão ainda somos muito fãs dos dois filmes, e a trilha sonora do segundo… Nem sei dizer quantas vezes que mentalmente em uma situação Derezzed tocou na minha cabeça. Por um tempo até foi toque de celular e despertador. Mas descobri da pior maneira possível que fazer isso com uma música que você gosta é a melhor maneira de começar a odiar algo que ama.

O mais marcante para mim, na minha história, é sem dúvida o álbum Discovery. One More Time vez meu “Gol Bolinha” tremer bastante numa época em que os CDs dominavam e você tinha que ir na lombada devagar para a disqueteira não pular. Sim, sou velho assim e se você não tem minha idade dificilmente você entenderá isso.

Ainda tenho o DVD original da banda mostrando sua música e seus clipes que, de maneira inédita, serviram de trilha sonora para um anime de criação da dupla. Para cada música um trecho da história, pode não ser a melhor história já contada no formato mas foi interessante.

Tive viagens regradas ao som de Daft Punk numa época em que tinha esperança de que conseguiria viver bem sendo “tio da Disney”. Uma época mais esperançosa do país, é verdade, e para mim a festa com meus amigos da época foi realmente inesquecível.

Alguém ousará tomar o lugar da dupla? Talvez, mas os momentos que a trilha sonora da minha vida foi regida pelo Daft Punk ninguém irá tomar de mim. Mas será que foi o fim mesmo, ou será um novo recomeço?

No final não sei se precisava falar tudo isso mesmo.

Por Rodrigo Castro

Guru de bobajada, coach de piadas sem graça e sommelier de ironia. Também é leitor de gibi e jogador profissional de videogames no easy.

2 respostas em “Preciso falar do Daft Punk”

Imagino um último show da dupla e a última música tocando (o aclamado bis) sendo a One More Time.

Já estou chorando aqui de imaginar a fic.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.