Categorias
Quadrinhos

Escritora muçulmana comenta a polêmica X-Men Gold #1

Não há como ficar sem se assustar com as intenções do artista Ardian Syaf na polêmica X-Men Gold #1. O desenhista passou por cima de tudo e todos, incluindo boa parte de seu publico, por conta de sua ideologia extremista.

Como muçulmanos já seguem uma perseguição natural devido aos últimos anos de ataques terroristas alguém muçulmano com bom senso precisava se erguer. Neste caso não acredito existir uma pessoa melhor do que a querida G. Willow Wilson, escritora e uma das criadoras de Kamala, a nova Miss Marvel, super heroína e muçulmana em período integral.

X-Men Gold #1 - Blog Farofeiros

Em seu blog pessoal ela cita alguns pontos importantes de toda essa bagunça. Segundo a autora o verso 5:51 do Alcorão que falaria para não aceitar judeus e católicos como líderes ou amigos não tem o significado exposto por Ardian Syaf e seu extremismo político na polêmica X-Men Gold.

Aqui está o problema: a palavra arábica nesse verso tem várias traduções como líder, conselheiro, amigo, colega, etc é awliya’, o plural de wali. E não significa nada disso

Awliya’ neste contexto significa algo muito específico e, entre os que falam árabe, o significado mudou muito pouco  nos últimos 1400 anos. Um wali é um conselheiro legal ou um guardião legal. Alguns exemplos: uma garota solteira deve indicar um wali para agir a seu favor durante a negociação de casamento de acordo com a lei islâmica. Seu advogado é seu wali em uma corte. Quem executa um desejo de um falecido é o wali do mesmo. Um pai é o wali de uma criança até que ela atinja a maioridade. Você entendeu a coisa.

G. Willow Wilson

Aqui você lê o texto completo da autora e neste outro link você vê a explicação do significado do versículo do alcorão, ambos textos em inglês.

Não vou discutir religião aqui, o que é certo ou errado em uma religião importa apenas para quem as segue sem interferir na vida de quem não a segue. O importante é deixar claro que a religião em si não prega esse tipo de ódio e, neste trecho, visa manter dentro do círculo religioso qualquer pessoa que precise de um representante legal de alguma forma.

X-Men Gold #1 corrigido

No meu velório eu quero que tenha rock’n roll, não pessoas chorando orações gritadas, é só um exemplo de como essa situação pode ser colocada em nosso meio. Logo não é só o protesto disfarçado de Ardian Syaf em X-Men Gold #1 que está errado mas uma linha extremista inteira na Indonésia.

Fico feliz que alguém tenha se levantado para explicar o que está errado na polêmica de X-Men Gold #1, ainda mais para nós que pouco conhecemos as leis do Islã. É importante mostrar que antes de religiosos somos todos seres humanos e todos, independente de raça, orientação sexual ou crença, merecem respeito.

Maioria ou minoria, respeito é bom e todo mundo gosta!

Por Rodrigo Castro

Pai. Marido. Gamer. Colecionador. Desenha, pinta, escreve e bebe. Hippie que resolve tudo.

Depois de tentar escrever a sério viu que a vida é uma piada e largou a mão da mídia tradicional para virar um comunista que só lê gibis de super herói norte americano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.