Categorias
Games

Mataram o World of Warcraft

Viu que mataram o World of Wacrcraft?

Sempre se especulou quem seria o famigerado WoW Killer, aquele MMO que viria para tirar à força o reinado do gênero do games. Porém mataram o World of Warcraft e ninguém previu que a culpa do assassinato seria a própria Blizzard. Ter ficado tanto tempo no topo pode trazer alguns problemas criativos e, como fica claro agora, administrativos e criminais… Mas este talvez seja um termo simplista demais para o tamanho do problema que finalmente vem à público.

E querido nerd boomer, poupe seu tempo e o meu e nem se dê ao trabalho de ler este texto. Obviamente você não vai entender nada, vá alimentar o Tico e o Teco em outro lugar por gentileza.

Faz anos que questiono a jogabilidade de World of Warcraft, o ânimo de início de uma expansão normalmente não era bem recompensado ao longo do desenvolvimento da história. Talvez tenha me acostumado mal, comecei jogando no The Buring Crusade e fiquei extasiado com The Wrath of the Lich King… Só que após isso o jogo não conseguiu mais prender minha atenção como antes, Mists of Pandaria foi algo que adicionou muito conteúdo, mas nenhum para mim. O que vem depois disso nem merece menção pois são apenas um emaranhado de histórias revitalizadas para sempre trazer o retorno de algum personagem chato.

Não joguei a última expansão – nem pretendo – mas nos últimos anos fica claro que a direção criativa do jogo simplesmente se perdeu. Estou olhando para você também Garrosh.

Gostaria muito que estas questões e o preço do jogo, tanto a mensalidade como suas expansões, são absurdamente caros para um jogo tão datado. Infelizmente quando disse que mataram World of Warcraft eu fui literal e a culpa é da Activision Blizzard… E que caralhos, já tenho falado isso faz um tempo.

É notório que ambientes tóxicos de trabalho são comuns na indústria dos games, mas a Blizzard parece que tem se esforçado para se enquadrar entre as piores. Sempre achei que o ambiente ali era algo diferente do que tentavam mostrar, o excesso de “prêmios colecionáveis” e as despedidas desajeitadas de membros antigos da empresa me soavam como um “acordo de cavalheiros”: toma essa mala de dinheiro, mas não fala das nossas merdas hein!

Mas quais seriam essas merdas? Bem, tive meu tostão com a Blizzard Brasil, mas iria fazer o quê? Nunca recebi dinheiro para falar deles, e quando fazem um evento de lançamento de qualquer jeito a gente só vai e agradece por não ter que pagar parar entrar. Ah, de consolo ainda ganhamos um mouse pad e uma camiseta.

Em um passado mais recente tivemos uma treta feia na comunidade brasileira que resolvi reportar… Mas tinha algo ali, sempre comentei com o Chewbacca Jr. que este tipo de comportamento abusivo tinha respaldo de gente grande, de gente em cargo de chefia… E não, não acho que essa chefia esteja no Brasil. A cultura tóxica da Blizzard tem endereço na Califórnia e tem um orc musculoso na porta.

Mataram o World of Warcraft - Blizzard - Blog Farofeiros

Talvez aquele lugar que muitos acreditavam ser mágico é na verdade o porão perfeito para a procriação de gente abusiva. Saíram do espectro do “nerd boomer” e o que se passa dentro da Blizzard Activision são crimes sexuais, trabalhistas e sabe-se lá mais o que.

Como brasileiros, convenhamos, estamos acostumados à escutar isto de todo tipo de lugar. Mas uma empresa milionária (bilionária?) especialista em diversão ser um ninho para abusadores de todo tipo chocou boa parte dos influencers especializados em World of Warcraft. Meu deus, até o Asmongold atacou a Blizzard – não do jeito que deveria (na minha opinião), mas atacou.

Não sei nem se podemos chamar de “clube do bolinha” essa cultura sexista que agora vem à público… Quer dizer, algumas coisas estavam na nossa cara como na vez que o presidente da Blizzard riu de uma mulher perguntando da sexualização excessiva das personagens durante um quadro de perguntas e respostas de uma Blizzcon. E por falar no evento parte da organização criou o chamado “Quarto do Cosby” (referência à Bill Coby, comediante que estuprou diversas mulheres) e o que ocorria lá Alex Afrasiabi deixou claro que era extremamente inapropriado no mínimo. Até o aclamado desenvolvedor Ghostcrawler estava envolvido nesse absurdo. Como a gente se sentiu “em casa” em uma companhia dessas?

Estes fatores só mostram que toda imagem acolhedora que tínhamos da empresa e de seus games que amamos só serviu para um fim: dinheiro. O meu e o seu dinheiro foi utilizado para pagar mal desenvolvedores que riem da nossa cara enquanto abusa de subalternos.

Mas vamos finalmente começar a história: Um departamento ligado à fiscalização do relacionamento entre empresas e funcionários da Califórnia decidiu abrir um processo contra a Activision Blizzard Inc. alegando discriminação contra mulheres e abuso sexual intenso, pagamentos injustos e retaliação. A informação foi apurada por Jason Schreier do Bloomberg.

A Blizzard negou as alegações e às classificou como falsas.

Ex-funcionários da Blizzard foram às redes sociais comentarem suas histórias. Infelizmente uma história de abuso é pior que a outra. Alex Frostwolf (não identifiquei seu cargo na empresa), Christina Womack (Ex-Designer Senior de Experiência do Usuário da Battle.net), Cher Scarlett (Ex-Engenheira de Software da Blizzard.net), Nazih Fares (Ex-Gerente de Comunicações da RIMEA da Blizzard Entertainment), entre muitos outros de menor visibilidade nas redes sociais.

Chamar o ambiente de tóxico seria elogiar o lugar.

Mataram o World of Warcraft - Blizzard - Blog Farofeiros

O presidente da Blizzard, J. Allen Brack, enviou um e-mail pedindo para conversar com alguns “colaboradores” para entender como eles podem seguir em frente… No dia de publicação desse texto os trabalhadores da Blizzard planejam uma manifestação, pedem para subirem hashtag com coração azul. Uma carta condenando a resposta da empresa já possuí 2.500 assinaturas de funcionários e ex-funcionários.

Já demos muito dinheiro para a empresa, muito mesmo. As amizades que fiz em Azeroth, a raiva que passei em Overwatch e a eterna espera por um Diablo são boas memórias. Até o multiplayer de Starcraft II era ótimo. Nem sei dizer exatamente quantos anos joguei World of Warcraft… Gostaria de uma mudança na empresa que fez me apaixonar por Azeroth, mas duvido que qualquer demanda da comunidade, ou dos funcionários seja atendida. Afinal é preciso manter a lucratividade da empresa e a felicidade dos acionistas que precisam conhecer o índice MR.

Particularmente, estou com Jimquisition quando diz que tem que queimar o lugar, cortar cabeças e começar tudo de novo. Só assim para essa cultura de abusos ser realmente expurgada da empresa, não que isso vá resolver todos os problemas do mundo mas devemos queimar uma estátua de cada vez.

Mataram o World of Warcraft, e o tiro foi dado pela Blizzard Activision.

O farofeiro Chewbacca Jr contribuiu com este artigo.

Por Rodrigo Castro

Guru de bobajada, coach de piadas sem graça e sommelier de ironia. Também é leitor de gibi e jogador profissional de videogames no easy.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.