Categorias
Games

Existe um MMO seguro?

Depois do meu post esculhambando a Level Up! Games alguns amiguinhos surgiram com alguns argumentos diversos, o mais chato contundente foi o Timbricius com sua vasta carreia online em diversos MMO de diversas produtoras. No final ficamos discutindo a segurança da Blizzard em seus jogos online perto do ocorrido com a Trion e seu Archeage e eis que começa uma nova história.

Para argumentar melhor fui atrás de informações de banimento da Blizzard por botting. Fiquei estarrecido ao dar de cara com este post no fórum oficial confirmando que as contas pegas em tal ato recebem um banimento de apenas seis meses e que após esse período a conta estaria lá, linda leve e solta para um novo banimento… o absurdo chega ao nível que, segundo o post, diversos estudos conduzidos pela produtora e outras companhias que monitoram o comportamento do jogador teriam descoberto que as suspensões seriam mais efetivas do que banimento permanente e que tal comportamento raramente se repete.

Vou explicar o que li com essa declaração: se você tem uma fazenda de bots em World of Warcraft tome cuidado para não ser pego, se for fique tranquilo, daqui a seis meses você pode voltar a injetar dinheiro na econômico esdruxula desse servidor que só você joga. O argumento da Blizzard com relação a bots simplesmente acabou com todo meu argumento e me fez questionar quem realmente está preocupado com a saúde financeira do jogo com a direção dada pelo próprio mercado, não por scripts e venda ilegal de ouro.

Em uma breve pesquisa descobri que algumas empresas vendem o bot para World of Warcraft por EU$ 25, lembrando que botting não é contra a lei, ela pode até ferir as leis de uso da produtora ou publisher mas em nenhum país existe uma lei que impeça um usuário de automatizar por conta própria o processo do jogo. Esse tipo de informação deixa a Blizzard feliz? Bem, eu achava que não, um dos sistemas que era comercializado levou um susto em 2015 com as mais de 100.000 contas banidas por seis meses… mas é claro que depois de um tempo eles voltaram ao ar comprometendo Arenas Ranqueadas, Battlegrounds, economias e drops em qualquer servidor. Vale lembrar que essas 100.000 contas banidas já podem ser utilizadas novamente.

A Arena Net, de Guild Wars 2 pensa diferente, além de banir um usuário que utilizou programas de terceiros para ganhar benefícios absurdos durante o World vs World (*saudades) fez um vídeo para que ficasse o exemplo.

A literatura sobre o impacto financeiro dentro e fora de um jogo online é inexistente mas punições leves como a da Blizzard deixa claro que a empresa ganha sim com o mercado de bots dentro do jogo. Mesmo perdendo mais de três milhões de assinantes World of Warcraft continua como uma locomotiva que no lugar de fumaça solta dinheiro. Recentemente o MassivelyOP criou uma lista dos dez MMO mais saudáveis para se jogar… por saudável você deve entender que envolve a mecânica do jogo, mercado in game, preço de compra do jogo, comunidade e, mesmo com tudo isso que demonstrei World Of Warcraft continua no topo.

Ninguém escapa ao marketing da Blizzard aparentemente… Para se fazer uma pesquisa desse tipo além de ser considerado um método científico para quantificação e qualificação dos dados seria preciso muito tempo e dinheiro, algo que só empresas gigantes podem fazer e, para seu próprio bem, esconder tais informações do público. Afinal temos que ser jogadores felizes pagando a mensalidade.

No meu ponto de vista isso é uma pseudo autorização para alguém utilizar programas de terceiros afim de conseguir vantagens no jogo… quem faz o bot ganha, quem instala o bot ganha e até as grandes empresas por trás do seu jogo favorito ganha. Não me admira que diversos jogos tem microtransações que são praticamente um pay to win, literalmente pague para vencer.

Não sou o único que perdeu a confiança na segurança dos jogos online… sem falar que está é uma parte do desenvolvimento do jogo meio que esquecida por produtoras. Se lembra quando hackers roubaram 77 milhões de senhas do banco de dados da PSN? Os custos aproximados dessa brecha do sistema é claro que não foram divulgados mas um estudo mostrou que giram em torno dos US$ 24 bilhões!!! A Forbes chegou a esse valor estimando que a compensação pelo tempo offline e gastos indevidos com as informações obtidas pelos hackers.  A PlayFab fez uma pesquisa interessante mostrando que a maioria dos jogadores gostariam de ter seus bens virtuais com uma segurança melhor tanto que 66% dos jogadores utilizam informações falsas para preenchimento de formulários, nunca se sabe onde o nome do seu cachorro pode parar.

Realmente não consegui identificar um MMO seguro, segundo o Timbricius, que jogou bem mais ArcheAge do que eu, apesar do boom inicial dos bots a Trion foi implacável na sua caça e hoje criou uma política de tolerância zero para os bots.

Só acho triste mesmo que as pessoas precisem fazer uso de trapassas para mostrar que seu e-penis é maior que o dos outros, facilitar ganhar a qualquer custo não faz parte da jogatina… Em 2004 eu comprei um GameShark para tentar conseguir os Pokemons que não conseguia facilmente, não havia a interação dos jogos com a internet de hoje. Fiquei com tanto medo que usei uma vez e fiquei com vergonha de que me descobrissem, mas até fiz um post revoltado (como eu escrevia mal). Nessa época a explicação era por não haver acesso a tudo que a Nintendo facilitava em eventos pelo Japão e EUA… nunca aqui no Brasil, agora não dá mais para usar essa desculpa dessa era pré-histórica da internet. Os bots hoje são vistos como mais uma engrenagem na máquina de fazer dinheiro dos MMO, e a resposta para a pergunta no título é um sonoro não.

As pessoas só se divertem se vencer… não tem mais a diversão da jornada.

 

Por Rodrigo Castro

Guru de bobajada, coach de piadas sem graça e sommelier de ironia. Também é leitor de gibi e jogador profissional de videogames no easy.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.