Categorias
Pensamento

Tristezas não pagam dívidas

Tristezas não pagam dívidas ou boletos.

Farofeiros, farofeires e farofeiras, neste momento espero minha pizza congelada ficar pronta para poder finalmente fazer uma refeição digna neste dia complicado e lesado que terminou faz algumas horas. Afinal de contas tristezas não pagam dívidas, boletos, carnês nem nada do tipo. Obrigado Paulo Guedes.

O país anda tão complicado que é difícil até reclamar de uma coisa só. Dá até para ser conservador e reclamar do que tá acontecendo. Se duvidar deve ter militar precisando vender cerveja 24 horas com uma máquina na frente de casa com Skol à R$ 2,75 em uma via que o limite é de 30 km.

Ou tênis e colchão de solteiro muito barato, sabe? Para pelo menos pagar o aluguel desse mês. Talvez o Bar do Bento ainda esteja aberto para tomar aquela quente fiado. Isso se estiver aberto ainda. Falta ânimo até para fazer piada, afinal, rir não dá dinheiro… Fazer rir as vezes dá mas não é o caso deste blog e podcast de esquerda comunista radical.

Tristezas não pagam dívidas - Whiplash - 2 - Blog Farofeiros

Nem sei como será o novo normal, já que normalidade por aqui é presidente contando mentiras e ignorando mais de 600 mil pessoas mortas (por enquanto). E isso é normal desde que esse ser brotou e foi cultivado no Super Pop e agora fica de mimimi por cota da capa de revista.

Acho engraçado como essa galera se ofende em ser chamada de algo que elas são. Na verdade é um mimimi sem parar dessa galera que não conserva nem as próprias pregas limpas (como visto aqui). O que é complicado num país como o nosso – mesmo com uma dança maluca e comigo caindo de sono. E não, não sei usar o TikTok.

Mas tudo bem pois mesmo sem fazer yoga sempre que gostaria sou o mesmo trouxa de sempre e, com a minha idade, acredito ser difícil mudar isso. Falta tempo, falta ânimo, falta dinheiro, falta tanta coisa que sinto falta de não sentir falta de algo que faz falta.

Sabe o que seria mais interessante ainda? Se meu tataravô, um maestro de missas, tivesse uma jazz band chamada Tristezas Não Pagam Dívidas e que eu fizesse uma homenagem à isso dessa maneira que só eu sei fazer: falando bobajadas. Quer dizer, isto provavelmente é mais uma lorota minha, afinal sou trouxa.

Pensamento do Dia

Pensamento - Vanderlei Luxemburgo Bot - Blog Farofeiros

Nem toda semana estou inspirado assim, as vezes meu trouxismo sucumbe à presunção suprema, mas a vida é assim. Ou não?

Por Rodrigo Castro

Guru de bobajada, coach de piadas sem graça e sommelier de ironia. Também é leitor de gibi e jogador profissional de videogames no easy.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.