Relógio do Apocalipse - Alan Moore

Relógio do Apocalipse: O que Alan Moore diria dessa história?

Escrito por | Artigos, Quadrinhos

Desde ontem eu não tenho parado de pensar no que Alan Moore diria sobre esse encontro entre Dr. Manhattan e Superman em Relógio do Apocalipse. Nova saga da DC Comics que além de anular os Novos 52 insere o universo de Watchmen como seres pivotais na mitologia que conhecemos.

Renascimento - DC Comics

Alan Moore, Watchmen e o Relógio do Apocalipse

Não tiro os méritos de escritor de Geoff Johns, roteirista de Relógio do Apocalipse, mas na minha humilde opinião de fã ele quer simplesmente fazer uma adendo à bíblia sem perguntar ao autor dela antes. Não que Alan Moore fosse responde-lo, mas estão querendo mexer com um clássico. Já achei Antes de Watchmen um sacrilégio

Watchmen foi uma obra prima de fora do universo DC, força-lo dentro da continuidade é terrível para os dois universos que possuem suas singularidades. Simplesmente pensaram “não gosto de Novos 52 do Morrison”, “ah, vamos esquece-lo então”. Isso é falta de respeito para o fã, e Dan Jurgens, alguém que respeitava muito soltou que a relação entre Superman e Mulher Maravilha nunca aconteceu. Não gostei do relacionamento mesmo mas até aí não é isso que estamos discutindo.

Não respeito mais Dan Jurgens por ele apoiar o descaso com o leitor. Como vamos saber quando alguma coisa “vale” ou não? Os Novos 52 devem ser jogados no lixo?

Renascimento - Relógio do Apocalipse: O que Alan Moore diria sobre Dr. Manhattan e Superman?

O especialista

Com a palavra nosso especialista em DC Comics, o Sr. Chewbacca Jr. nas Infinitas Terras da Zero Hora.

Desde que surgiu a história do Dr. Manhattan estar por trás de tudo, achei forçado chamá-lo de vilão. Convenhamos: é um personagem que está acima dos conceitos simplórios de bem e mal.

Está tudo tão focado no Superman que estão deixando alguém importante de lado: Batman. Ele tem um papel importante nisso tudo… e sem sentido. Afinal, ele não é nada poderoso como o Superman, mas é na caverna dele que o broche foi parar.

Será que o Geoff Johns vai aproveitar coisas do Morrison? Morrison tinha uma fixação pelo Superman… pode reparar que nas grandes histórias dele, o Superman é uma espécie de força perpétua… vide DC 1.000.000, e principalmente All-Star Superman (se não leu, devia pois é espetacular) e, não menos importante, Final Crisis: Superman Beyond.

Ou Superman & Batman: Generations (I e II se não leu, merece um tapa na cara) do John Byrne. Esse (ignora a Mulher Maravilha) centra tudo no Superman e no Batman. Apesar de ser uma série separada do UDC, pode muito bem ser situada no Multiverso… e me faz lembrar o quanto saga está se referindo a eles e deixando a Mulher Maravilha à margem.

Chewbacca Jr. negou-se a comentar mais sobre o assunto.

 Relógio do Apocalipse: O que Alan Moore diria sobre Dr. Manhattan e Superman?

E o Tio Alan Moore?

Desde que quebrou os laços com grandes corporações Alan Moore renega suas criações, não recebe royalties de reimpressões ou filmes e não autografa quadrinhos os quais ele não possua os direitos autorais. No final das contas temos que dar muita razão para o cara.

O escritor pode até ser excêntrico, mas não deixa de ter razão em diversas questões, mesmo assim ele se aposentou dos quadrinhos. O último livro que li dele, A Voz do Fogo, é mais um daqueles casos que você precisa ler mais umas duas vezes para ver se realmente entendeu a história, mesmo assim estou com vontade de comprar seu último romance chamado Jerusalém.

Nos quadrinhos, principalmente na DC Comics, Alan Moore faz muita falta com suas tramas cheias de situações inusitadas e críticas sociais de todos os tipos. É raro alguém trabalhar dessa maneira com quadrinhos de super heróis.

Vou reler A Piada Mortal antes que a reescrevam, de novo.

Última alteração: 16/5/2017

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *