Menu fechado

O trabalho do humorista

O trabalho do humorista

O trabalho do humorista

Não, este não é mais um texto falando do limite do humor ou de alguma piada sem graça de algum comediante de stand up que ofendeu alguém. Este texto é sobre o que ele fala corretamente, sobre o que ele acrescenta à sociedade.

Sou extremamente seleto com o que me faz rir, não goste de qualquer comediante nem de qualquer piada. Se o humorista é inteligente até fico interessado em saber mais de seu trabalho, mas é raro.

Na TV aberta infelizmente não há um programa humorístico inteligente. Nos canais pagos a coisa fica um pouco diferente mas não que seja muito melhor. Normalmente são formatos estrangeiros adaptadas que dão certo por aqui.

Foi assim com CQC, que foi bom por muito tempo, mas caiu no esquecimento por não se reinventar e se tornar um clone engomado de Pânico na TV que é muito ruim. O Fábio Porchat é muito bom no Porta dos Fundos e só, o seu programa de entrevistas me dá calafrios. Infelizmente uma pessoa que adora, a Rosana Herman está envolvida com aquela porcaria de alguma forma.

Danilo Gentilli foi bom até querer se tornar justiceiro político. Sua visão deturbada de alguns assuntos acaba invalidando seus opiniões acertadas quanto à outros. Se lhe sobrasse um pouco de bom senso político ele seria algo bom para a sociedade. Quase um desserviço ao trabalho do humorista.

Rafinha Bastos é o meu favorito, centrado, engraçado e raramente troca as mãos pelos pés. Merecia mais espaço na TV de qualquer forma, não pude ver ainda seu programa no Multishow então só me resta o YouTube mesmo.

Preciso enfatizar o próximo nome, apesar dele copiar a versão americana de uma maneira fraca e por vezes pouco inspirada trata-se do melhor programa humorístico do Brasil no momento. O Greg News com Gregório Duvivier é tudo o que um programa humorístico deveria ser, poderia ser mais engraçado mas é o exemplo perfeito de trabalho do humorista que me refiro no título.

O humor não resolve o problema de ninguém, pode até fazer com que a pessoa esqueça dos problemas na hora da risada, mas se existe uma crítica social embasada a risada se torna uma poderosa navalha contra a opressão. Independente de sua orientação política.

Para mudar um país precisamos de boas ideias espalhadas para o povo, e a risada é nossa melhor arma. É quase como se fosse o “com grandes poderes, vem grandes responsabilidades” sem os poderes do Homem Aranha e sem o Tio Ben morto. Este é o trabalho do humorista.

Pensamento do Dia

Todas as grandes doutrinas políticas são ricas em problemas difíceis – problemas bastante acima do alcance do cidadão comum. E isso não é estranho, pois eles também estão acima do alcance das mentes mais brilhantes do país; Depois de todo o barulho e toda a conversa, nenhuma dessas doutrinas foi comprovadamente ser a melhor e a certa.
Trecho de “O privilégio da sepultura” do livro “Quem é Mark Twain?”

A coluna Pensamento é atualizada toda segunda-feira com uma obra intelectual moderna.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Scroll Up