Categorias
Pensamento

O dia que Albert Einstein morreu

O dia que Albert Einstein morreu

Albert Einstein morreu dia 18 de Abril de 1955 no Princeton Hospital e um fotógrafo no lugar de fazer a cobertura de seu funeral resolveu correr atrás do que ele havia deixado. Sem muito esforço e com uma garrafa de whiskey o jornalista fotográfico Ralph Morse conseguiu acesso ao escritório do cientista. Intocado por mais ninguém os últimos momentos do trabalho de Albert Einstein foi registrado sem que o autor estivesse presente.

Seria uma bela reportagem, um furo até. Porém em sua volta para Nova Iorque o filho de Einstein procurou o editor da revista Life e pediu para que não publicassem a história, por respeito ao luto da família.

Sessenta anos depois os proprietários das fotos publicaram as imagens do que ficou do dia que Albert Einstein morreu.

As fotos obviamente em preto e branco mostram o local de trabalho bem desarrumado, cheio de anotações e notas e mais notas que deveriam fazer sentido apenas à ele. Em uma época sem computadores pessoais e internet Einstein deixou muitos trabalhos inacabados e não parecia querer parar. Esse é o grande benefício de se fazer o que se gosta e ainda ser valorizado por isso.

É claro que o cientista foi uma das maiores mentes de nossa história recente e, mesmo sem os recursos que temos hoje, conseguiu mudar o mundo. Não precisamos ter uma teoria da relatividade para mudar nossos mundos, se você deixar de ter um comportamento negativo com pessoas que gosta já mudará o que outras pessoas sentem por você. Assim também as pessoas poderão ter a curiosidade de como sua mesa estava de trabalho sessenta anos após sua morte.

Falo do dia que Albert Einstein morreu e da foto tirada de sua mesa para ficar a indagação: o que você quer que encontrem em sua mesa de trabalho quando você se for?

Se bem que seria bom você apagar o seu história da internet.

Pensamento do Dia

Eu não tenho um talento especial. Eu sou apenas apaixonadamente curioso.
EINSTEIN, Albert

A coluna Pensamento é atualizada toda segunda-feira com uma obra intelectual moderna.

Por Othon Chievo

Mente e bigode brilhantes em um mar de falta de luz. Simplesmente superior. Exu de direita. Conservador de esquerda. Metamorfose estática.

Pensador contemporâneo que fala besteiras apenas para irritar os outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.