Categorias
Colunas

Saudade dos anos 80

Farofeiros e farofeiras,

Bateu uma estranha e suspeita saudade dos anos 80. Nesta época cheia de graça, com putaria gratuita e discriminação farta na TV tudo pode e se vendia. Na hora da atração musical sempre surgia uma banda para tocar ao vivo, só que de mentirinha, a bateria sempre era um prato e uma caixa. Realmente uma coisa linda de se ver.

Dentro dessa nostalgia do que tenho saudade mesmo dos anos 80 era a crítica acirrada da classe artística contra os poderosos, fosse o governo, fosse a mídia. A nossa política fede, cria coxinhas e petralhas, mas hoje não vemos músicas tão críticas como as daquela época. Letras de protesto de Cazuza, Renato Russo e Titãs, só para citar os exemplos mais pops que lembrei agora, são os melhores exemplos de revolta artística.

Um pensamento por desejo por uma ideologia para viver sabendo que seus heróis morreram de overdose e com seus inimigos no poder.  Ou um pensamento onde ninguém respeita a constituição mas todos acreditam no futuro da nação. Ou ainda um pensamento lembrando que Marvin, agora é só você e não vai adiantar chorar.

Independente do destino que as bandas tiveram, os poetas daquela década não tem representantes ativos nesta década de redes sociais, a crítica está restrita a duas cores e sujeita à censura logo é mais fácil falar de como se transa porcamente do que algo que realmente importe. Me indagam muito por eu não gostar de música nacional, talvez falte um crítico ideal para este momento inquietante e absurdamente fedido de nossa política.

Aposto que se fosse um youtuber teen que começasse a falar mal do governo ele envolveria as massas de seguidores para derrubar um governo, mas não, é melhor falar de Amoeba e Minecraft.

Sei que a inflação não é tão alta e os militares já não possuem o poder absoluto, mas parar de brigar pelo que é realmente certo me parece um pensamento retrogrado tremendo da sociedade brasileira atual se compararmos com as atrocidades ocorridas na década de 80. Por Odin, Didi Mocó chamava Mussum de asfalto em rede nacional em horário nobre e todos achavam graça, o Chacrinha mostrava mulheres seminuas e a Xuxa era a rainha com pouca roupa dos baixinhos!

Acho que só tenho mesmo saudade dos anos 80 por ele ter acabado, não suportaria viver naquela época com o conhecimento que tenho hoje de tudo que é certo e errado.

Pensamento do Dia

Meu único pecado foi agir sem pensar de verdade, esquecendo quanto poder eu tenho.

– CAGE, Luke o poeta.

Por Rodrigo Castro

Debochado e inconveniente. Escritor, roteirista e designer de brincadeirinha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.