Categorias
Opinião

O que é o Zardulismo?

Tento explicar o que é o Zardulismo neste pensamento zardulista.

Farofeiros, farofeires e farofeiras, estudando um pouco um texto encontrado em um lado obscuro da internet tentarei explicar o que é Zardulismo. Porém, aviso, acredito que mesmo antes de saber seu significado este que vos escreve é um Zardulista não batizado. Este blog é extremamente Zardulista e confesso que descobri isso no último fim de semana.

O texto que tenho como referência fala que o ano de 2015 nós tenhamos vivido uma mentira e só descobri disso agora. Os momentos virais da internet teriam sido manufaturados por uma neopagã-ilusionista com um exército de roedores e um poderoso manifesto que questiona motivações do que chamamos de arte hoje.

Li seu manifesto e meio que concordei com praticamente tudo. Porém estou perdido pois as nuances do texto me conduzem à cantos obscuros da criação de histórias, de mitos. Se este é o objetivo não sei, mas outros trechos levam luz à questões muito mais atuais e importantes. Não posso me considerar um Zardulista, mas faço muito do que é pregado em minhas redes sociais e neste blog.

Bigodudo do Zardulismo - www.farofeiros.com.br

Talvez este sítio na internet seja um dos grande exemplos do Zardulismo brasileiro… Gosto do caos, gosto de não ter que me importar com o click bait à cada minuto. Mas gosto de criar factoides e brincar com quem gosta desta bobajada, seja sobre Ligma, seja sobre as normas da ABNT para Memes.

O texto a seguir é uma tradução livre de The Founding and Manifesto of Zardulism, criado por Zardulu. Não inclui uma resolução para alguns símbolos colocados no meio do texto… Não encontrei uma resposta para seu significado e também fiquei com preguiça.

Em seu sentido clássico, os mitos estão mortos. Rejeitamos qualquer conexão com a mitologia do mundo não civilizado. No entanto, os mesmos arquétipos do nosso subconsciente primitivo continuam a se reafirmar nas tradições modernas.

A relevância desses arquétipos não escapou à atenção daqueles que desejam nos explorar. Eles se apropriaram do papel do contador de histórias. Eles agora escrevem os mitos que definem nossos valores e visão de mundo.

Os mitos já foram mensagens em garrafas em praias que nossos ancestrais visitaram, contando como lá chegaram e falando das belezas nos esperavam ao longo do caminho.

Não ganhamos mais essas valiosas lições de nossa mitologia. Ele é produzido com o único propósito de nos explorar e despojou nossas vidas de substância e nos forçou a um processo repetitivo e automatizado da vida.

Tudo o que uma vez foi verdadeiramente vivido é agora uma mera efígie. As imagens deslocaram a interação humana autêntica. Antes do advento da Internet, a vida social já não era viver, mas ter. Aqueles que desejavam nos explorar produziam imagens para ditar o que precisávamos e desejávamos. Enquanto isso continua hoje, a vida social avançou, deixando a condição de ter e passando a um estado de simplesmente aparecer como imagem.

O zardulismo é a arte de criar e perpetuar mitos. Imagens dramáticas e linguagem criadas com o propósito de despertar e seguir desejos genuínos, experimentando o prazer da vida.

No Zardulismo, o imaginário flui para o real e o inunda, inunda-o até ser absorvido. Em um mundo onde nada é absolutamente real, a aparência perde o sentido e nossa presunção de verdade no que foi dito se perde.

Os mitos vieram antes da arte, antes da palavra escrita e até da linguagem. Os mitos são os blocos de construção dos quais a imaginação e a criatividade são construídas.

O Zardulismo afirma que a criação e perpetuação do mito é arte da mais alta forma e que os mitos estabelecidos devem ser reconhecidos como tesouros culturais.

Onde a maioria das disciplinas artísticas exige o domínio de um único conjunto de habilidades, o Zardulismo exige o domínio da narrativa, atuação, direção, fotografia, pintura, escultura e muito mais. Todas as peças produzidas para estabelecer e sustentar mitos são obras do Zardulismo.

O Zardulismo é o mistério que desejamos na tentativa de contrariar nosso domínio e compreensão do mundo. É uma fuga do nosso estado não natural de racionalidade absoluta e da expectativa de que funcionemos como máquinas.

Com o advento da Internet e a natureza viral das mídias sociais, a criação de mitos não exige mais muito tempo. Pela primeira vez na história, os mitos podem ser criados em meros momentos. É sob essas circunstâncias únicas que o Zardulismo passou a existir.

O Zardulismo é uma nova poesia, escrita pelo Zardulista e recitada por aqueles ávidos por capitalizar qualquer tópico trivial ou manchete sensacionalista que possa alcançar uma audiência viral. Esse deslocamento do mito explorador é a sublimidade artística.

Os mitos Zardulistas só devem ser revelados a outros Zardulistas. Ambos, por sua vez, têm a obrigação de auxiliar na criação e perpetuação do mito do outro. O poder do Zardulista é imenso, mas aumenta exponencialmente quando os esforços são combinados.

O Zardulista deve tomar grandes medidas para evitar a detecção. É aconselhável que eles mudem a concentração e a metodologia com frequência e se afastem muito da atividade, oferecendo a oportunidade de retornar a uma paisagem incansável.

Há mitos que fizeram muito bem e há aqueles que fizeram muito mal. Os mitos zardulistas existem fora desse espectro como pérolas de alegria para o mundo desfrutar. Na sua forma mais elevada, para toda a história desfrutar. Ars longa, vita brevis

Neste link você confere o manifesto original, postado por Zardulu. Aproveita e comenta aí para ver se entendi tudo pois acho que não. Ou talvez tenha entendido e só esteja fingindo.

Pensamento do Dia

Às vezes me torno o sasquatch, às vezes é sobre a importância das Iceberg Charts, às vezes era só uma terapia, mas, na real, isso não é um desabafo.

Por Rodrigo Castro

Debochado, inconveniente, guru de bobajada, coach de piadas sem graça e sommelier de ironia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.