Categorias
Pensamento

Eu não vou falar de Dia dos Namorados

Farofeiros, farofeires e farofeiras, fazem dias que tenho recebido e-mails das mais absurdas lojas oferecendo-me absurdos para deixar minha cara metade indagando qual absurdo lhe comprei.

Tudo se move a dinheiro, então, por que não o amor? Dia das Mãe? Dia dos Pais? Natal? Páscoa? Exemplo? Fique sem dar presente para sua mãe no Dia das Mães; você poderá facilmente ouvir o comentário venenoso: “Acho que ele não gosta da mãe dele.”

COMO ASSIM ALGUÉM NÃO GOSTA DA PRÓPRIA MÃE?

Por conta de um problema de classe média se é rotulado como uma pessoa fria, desprovida de sentimentos ou coisa parecida. Outra coisa que, obviamente, não existe. Confesso que sou mais quente do que pretendia e mais frio do que as pessoas conseguem lidar, não chego a ser antissocial mas você terá que ter melhores argumentos se quiser conversar, ou discutir, qualquer assunto comigo. É, sou bom desse jeito mesmo. Dito isto devo exibir meu crachá de participante de alguns Dia dos Namorados. Não todos, mas alguns.

Clique aqui e compre presentes para a pessoa que você gosta.

De todo jeito mais um Dia do Comércio bate à porta com apelo sentimental de posse sob algo físico, sem falar que esse desejo lúdico por algo físico é quase aleatório. Certa vez ouvi a ideia de um amigo: ele e a namorada haviam combinado não trocar presentes no Natal, deixar para comprar depois com preços supostamente mais baixos. Não sei o que eles compraram, mas sei que o namoro acabou.

O melhor e-mail que recebi foi de uma produtora de antivírus alertando sobre os males que podem aparecer durante o Dia dos Namorados. Não poderia ser diferente. O difícil equilíbrio entre o material e o sentimental é um sonho e apenas isso, você nunca vai agradar apenas dizendo que ama alguém: tem que entregar a chave da Ferrari dentro da sobremesa para surpreende-la.

E, por favor, parem de colocar alianças no meio de comida (chaves de Ferrari também), por favor.

Isso sem contar as porcarias que se compram em nome do tal amor. Quanto mais você gasta mais babaca você fica, já que você PRECISA agradar. De qualquer jeito sua oferenda tem que ser bem aceita pela pessoa amada, mas e se não for? Cara de bunda normalmente responde essa dúvida.

Então é isso, amanhã espero que todos fiquem com cara de bunda com um presente que você não queria em mãos e sorrindo falsamente para sua cara metade. ISSO SIM É AMOR! Ah, claro, Feliz Dia dos Namorados, Stalkers e Amantes.

Pensamento do Dia

Tudo o que eu queria era que  ela me cutucasse, assim eu poderia cutuca-la de volta.

Esse povo contemporâneo não é fácil.

Por Rodrigo Castro

Guru de bobajada, coach de piadas sem graça e sommelier de ironia. Também é leitor de gibi e jogador profissional de videogames no easy.

2 respostas em “Eu não vou falar de Dia dos Namorados”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.