Categorias
Quadrinhos

Super heróis politizados

Super heróis politizados não são moda, são uma necessidade.

Está em alta falar de super heróis politizados graças à positiva repercussão do filme do Pantera Negra. Mas não ele não é o primeiro a levantar bandeiras, mas a importância de um rei negro de uma nação africana ir tão bem nas bilheterias é indescritível.

O Pantera Negra foi criado com a intenção de ser um representante negro nos quadrinhos da situação da época em que foi criado. Stan Lee e Jack Kirby mostraram, pela primeira vez, um rei africano de uma sociedade avançada em 1966 na revista Fantastic Four #52 e o personagem se uniu aos Vingadores em The Avengers #52 em 1968.

Nessa mesma época o Black Panther Party (literalmente Partido Pantera Negra) foi fundado e sua principal função era desafiar a brutalidade policial contra o povo negro em diversas cidades dos EUA. O partido, obviamente socialista, também ficou famoso por diversos programas sociais que ofereciam café da manhã para crianças além de criarem clínicas de saúde. O momento era oportuno para que super heróis politizados surgissem, essa representação era o que seus criadores pensavam e almejavam.

Super heróis politizados - Falcão

Marvel Comics é um bom exemplo de empatia dos criadores pela luta contra o preconceito racial, reconheço que até os dias de hoje é pouco, mas buscar a representatividade na década de 1960 é algo surprendente, eles tomaram um lado da luta. Em 1969 Falcão (e até se tornou Capitão América recentemente) foi criado por Gene Colan e Stan Lee, e em 1972 surgiu Luke Cage, criado por Roy Thomas, Archie Goodwin e John Romita Sr. Mais um negro para o plantel de heróis da editora.

John Stewart, o Lanterna Verde negro da DC Comics, surgiu em 1971 e foi criado por Dennis O’Neil e Neal Adams quando procuravam um substituto para Hal Jordan. O personagem foi criado depois de uma reunião em que o editor Julius Schwartz sobre a situação racial daquele momento. Segundo Neal Adams Julius teria dito que a DC Comics precisava ter um Lanterna Verde negro não por serem liberais, mas por que isso fazia sentido.

O Lanterna Verde foi o primeiro personagem negro da empresa.

Super heróis politizados - Jon Stewart - Lanterna Verde

Essa fase nos quadrinhos é conhecida como Blaxploitation (ou blackspoitation), normalmente o termo é utilizado para filmes mas o termo pode ser usado nos quadrinhos. O termo significa literalmente obter sucesso financeiro explorando assuntos atuais ou nichos. Podemos ver assim que super heróis politizados estão em alta desde 1970 e depois do sucesso do filme do Pantera Negra acho difícil acabar.

Vivemos em um mundo que beijo nos quadrinhos pode ser censurado por prefeitos, e por isso temos exaltar quando conglomerados colocam holofotes em histórias que focam minorias que sofrem preconceito no mundo todo. O mundo precisa mudar, o mundo já mudou e irá mudar muito mais. Politizar é algo necessário para a boa convivência de todos, e assumir isso é o primeiro passo que todos devemos dar para aceitar o próximo como ele é. E isso começar no mundo ficcional ajuda bastante qualquer causa.

Aqui rola de tudo que é importante para você, de crise do Facebook até preconceito nerd.

Este texto foi atualizado dia 24/08/2021 para melhor refletir a visão do autor.

Por Rodrigo Castro

Guru de bobajada, coach de piadas sem graça e sommelier de ironia. Também é leitor de gibi e jogador profissional de videogames no easy.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.