Categorias
Tecnologia

Quais os sites mais visitados do mundo?

Veja quais são os sites mais visitados do mundo!

A internet tem de tudo, literalmente: jogos, podcasts, vídeos, gatos fofinhos, coisas nojentas. Em algum lugar, mesmo que seja um canto obscuro, dá para achar algo que vai te agradar e nem precisa ser um dos sites mais visitados do mundo.

Trocar a resistência do chuveiro, descobrir a qualidade da água, fazer compras no supermercado, assistir um filme, escrever em um blog (sic), são exemplos específicos demais. Digo isso pois existem sites que unem mais de uma utilidade, principalmente as redes sociais.

Mas entre os sites mais visitados do mundo podemos nos surpreender com algumas coisas. Outras, nem tanto, afinal pornografia sempre está em alta. Não adianta.

Os dados para definir os sites mais visitados do mundo são do SimilarWeb de Janeiro de 2023, e é importante lembrar que os dados podem variar de mês a mês. Para obter estes números são analisados mais de 100 milhões de sites em 190 países, além de 5 bilhões de termos de buscas e 10 bilhões de páginas de conteúdo.

1. Google

Google - Blog Farofeiros
  • Tipo: Ferramenta de busca
  • Principal país: Estados Unidos
  • Número de acessos: 85.1 bilhões
  • Receita anual: US$ 1.0 bilhão

O buscador padrão da grande maioria da população mundial. Criada em 1998 a empresa só cresceu desde então. Até então seu slogan oficial era “Não seja mal”. Bem, depois das recentes declarações oficiais da empresa no Brasil quanto a PL 2630 parece que a coisa mudou. A empresa é investigada neste momento por campanha de difamação.

O lema foi substituído em 2015 pelo código de conduta corporativo da Alphabet, a “Faça a coisa certa”. Só resta saber o que é coisa certa e para quem, afinal anúncios escabrosos e duvidosos dominam a plataforma.

No final o resultado da busca não é o que você precisa, mas sim o que querem te vender… Incluindo fake news. Importante apontar que o Google é hoje a ferramenta de 96,61% dos brasileiros na internet – verificando-se apenas o serviços para celular a porcentagem chega à 99,19%… O segundo colocado nesta categoria é o Bing com pífios 2,64%.

2. YouTube

  • Tipo: Compartilhamento de vídeo
  • Principal país: Estados Unidos
  • Numero de acessos: 33 bilhões
  • Receita anual: US$ 1.0 bilhão

O YouTube não é só mais um site de vídeos. O seu número quase sem fim de tutoriais, reacts, reacts de reacts, vlogs, notícias, transmissões ao vivo, vídeos de gatinhos, documentários, filmes e muito mais.

Apesar da extrema-direita ter tomado o lugar de assalto ainda dá para encontrar muita coisa boa a realmente relevante. A plataforma também é conhecida como “máquina de moer produtor de conteúdo” pelas suas exigências para monetização.

Para o usuário conveniências como apesar ver vídeos daqueles canais que ele segue são escondidas. A plataforma quer que você veja o que eles querem… E normalmente são mentiras e fake news, pois este tipo de conteúdo dá mais engajamento: de quem acredita e de quem às combate. Por isso a PL 2630 contra fake e hate é tão importante para o Brasil.

3. Facebook

  • Tipo: Rede social
  • Principal país: Estados Unidos
  • Número de acessos: 17.8 bilhões
  • Receita anual: US$ 1.0 bilhão

O rede social capenga de Mark Zuckenberg não é tão capenga assim, ainda há muita relevância pelo número de usuários que ainda a utilizam. E problemas não faltam mensagens políticas, como o caso da Cambridge Analytica, denuncias de divulgação de mensagens políticas que são de interessantes para a empresa em diversos países.

Muito crimes são cometidos no ambiente e nada é feito. Não digo só de ofensas e preconceitos, mas tráfico de animas, drogas e muito mais.

O ambiente pode ser tudo, menos familiar e acolhedor.

4. Twitter

  • Tipo: Rede social
  • Principal país: Estados Unidos
  • Número de acessos: 6.8 bilhões
  • Receita anual: US$ 1.0 bilhão

Também conhecido como “O Esgoto da Internet” a rede de Elon Musk conseguiu certa relevância no mundo todo, mesmo assim a rede é pouco usada no Brasil segundo pesquisa da Mobile Time.

A ascensão de supremacistas brancos e as políticas absurdas dos Termos de Uso da plataforma são a sua principal força motriz.

Confesso gostar da rede como ferramenta, mas o ambiente é insalubre para todos, de todas as idades e de todas ideologias. Diversas outras redes surgiram como opções mais seguras: Mastodon, Spoutible e BlueSky.

5. Instagram

  • Tipo: Rede social
  • Principal país: Estados Unidos
  • Número de acessos: 6.1 bilhões
  • Receita anual: US$ 1.0 bilhão

A ex-rede de fotos se que tornou repositório de vídeos curtos de gosto duvidoso tem muito movimento também. O modelo de negócios que coloca uma linha do tempo cheia de vídeos de pessoas que você não gosta para engajar mais tem dado certo. Is nas postagens digitar “que linda amiga” acaba rendendo mais movimento para alguns perfis e mais dinheiro para a rede.

Golpes também são bem comuns nesta rede da Meta.

Além disso a quantidade de anúncios parece que não assusta nem incomoda a maioria dos usuário. Apesar de ter sua versão para desktop é um site muito mais utilizado via celular e seu app próprio.

6. Baidu

  • Tipo: Ferramenta de busca
  • Principal país: China
  • Número de acessos: 5 bilhões
  • Receita anual: US$ 1.0 bilhão

Por aqui a gente não conhece ou usa a ferramenta (já tentei, é complicado sem saber mandarim), mas é interessante ver a quantidade de visitas de um site em uma língua que não é a inglesa.

Apesar disso é importante mostrar que são mais de 57 serviços relacionados a ferramenta. Também foi a primeira empresa chinesa a ser incluída no índice NASDAQ-100 e a tornar-se parceira do consórcio de ética computacional Partnership on AI (EUA).

Uma versão em português está para ser lançada e, confesso, mal posso esperar para que o Google perca sua hegemonia… Mas ainda tenho medo dos aplicativos deles, sim, medo.

7. Wikipedia

  • Tipo: Enciclopédia
  • Principal país: Estados Unidos
  • Número de acessos: 4.8 bilhões
  • Receita anual: entre US$ 75.0 milhões e US$ 100.0 milhões

Responsável por ajudar diversos universitários e alunos do ensino médio com resumos capengas em português. Em inglês a qualidade do serviço é muito maior já que pode envolver mais pessoas.

O sistema colaborativo da Wikipedia ainda é revolucionário mas, infelizmente, pouco adotado – principalmente no Brasil. O conteúdo colaborativo moderado pode ser o futuro da informação.

8. Yandex

  • Tipo: Ferramenta de busca
  • Principal país: Rússia
  • Número de acessos: 3.4 bilhões
  • Receita anual: menos de US$ 1 bilhão

Outro mecanismo de busca pouco conhecido do brasileiro apesar de ter recursos em português e em inglês. Mesmo assim é interessante apontar que esta empresa tem ligações com parte do desenvolvimento do MS-DOS, o antigo sistema operacional da Microsoft.

A história deste serviço começou com softwares de pesquisar a Bíblia, o que é no mínimo inusitado. Desde 2007 na Ucrânia o Yandex abriu um centro de desenvolvimento em Kiev.

9. Yahoo!

  • Tipo: Portal e mídia
  • Principal país: Estados Unidos
  • Número de acessos: 3.3 bilhões
  • Receita anual: 7.4 bilhões (2020)

Apesar de parecer um grito de comemoração mas na verdade significa “Yet Another Hierarchically Organized Oracle” (ou Mais um Oráculo Organizado Hierarquicamente?).

No final da década de 90 os serviços da empresa era os melhores e mais inovadores do mercado… Mas isso mudou com a rápida ascensão de Google e Facebook. Aliás, em Junho de 2000 o portal Yahoo dispensou sua própria ferramenta de busca e implementou a do Google.

A história da empresa é conturbada por embates com empresas como a Microsoft que – do nada – fez uma proposta de compra. O Yahoo rejeitou a compra alegando que ela desvalorizava a companhia. A oferta chegou a US$ 47 bilhões mas a Microsoft desistiu da compra após a solicitação de 10% de acréscimo no valor em 2008.

10. WhatsApp

  • Tipo: Rede social
  • Principal país: Estados Unidos
  • Número de acessos: 2.9 bilhões
  • Receita anual: US$ 1.0 bilhão

O WhatsApp é o aplicativo que o brasileiro passa mais tempo ao longo do dia e não surpreende que tantas Fake News sejam extremamente espalhadas por lá.

Quando o assunto é mensageria móvel em aplicativos a Meta compete com ela mesmo nos três primeiros lugares: WhatsApp estaria instalado em cerca de 99% dos aparelhos brasileiros, seguidos por Instagram (87%) e Messenger (68%).

Existe uma universidade dentro do aplicativo, mas não tenho certeza se é verdade. E, segundo a Agência Brasil, o aplicativo é o principal disseminador de fake news sobre o Covid-19 no país.

11. Xvideos

  • Tipo: Pornografia
  • Principal país: República Tcheca
  • Número de acessos: 2.8 bilhões
  • Receita anual: menos de US$ 1.0 milhão

No mundo todo a pornografia é um mercado surpreendente que, de maneira hipócrita, é desconsiderado pela maioria das pessoas… Porém os números mostram que muita gente acessa tal tipo de conteúdo.

Sim, tem um monte de pornografia entre os sites mais visitados do mundo!

12. Amazon

  • Tipo: Comércio eletrônico
  • Principal país: Estados Unidos
  • Número de acessos: 2.6 bilhões
  • Receita anual: mais de US$ 1.0 bilhão

Comprar e vender são costumes humanos desde que sentiram a necessidade de ter coisas que não podiam produzir. A Amazon é o melhor exemplo do capitalismo selvagem em uma selva de pedra que consome todo tipo de trabalhador: do produtor, ao entregador e até blogs de alta performance como este.

É inegável o tamanho da empresa e suas vantagens, o que precisa ser discutido é o quão bem seu modelo de negócios faz para a nossa sociedade. Precarização em cima de precarização pode ser extremamente perigoso a longo prazo.

As ambições de Jeff Bezzos, proprietário da empresa, não se limitam ao campo gravitacional da Terra.

13. Pornhub

  • Tipo: Pornografia
  • Principal país: Canadá
  • Número de acessos: 2.3 bilhões
  • Receita anual: entre US$ 10.0 milhões e US$ 15.0 milhões

É óbvio que iria ter mais pornografia.

Alguém tinha alguma dúvida?

14. XNXX

  • Tipo: Pornografia
  • Principal país: França
  • Número de acessos: 2.3 bilhões
  • Receita anual: entre US$ 2 milhões e US$ 5 milhões

Como foi mencionado acima, sempre tem mais pornografia, afinal a internet foi criada para isso.

15. Live.com

  • Tipo: E-mail
  • Principal país: Estados Unidos
  • Número de acessos: 2.1
  • Receita anual: menos de US$ 1 milhão

Provavelmente o serviço de e-mail menos usado por aí e… Caramba, quem cria um e-mail na Live hoje em dia gente? Tudo bem que deve ter muita gente que usa o serviço por conta de constas da Microsoft mas figurar entre os sites mais visitados do mundo me parece demais. Não é?

E os outros sites mais visitados do mundo?

Estes são seguidos de Yahoo! Japan, Netflix, TikTok, NTT Docomo, Reddit, Office e LinkedIn. E sim, muitos outros sites de pornografia. Surpreendente? Não sei, mas imagino o tanto de dinheiro que cada um desses sites somados e gerando uma parcela de receita para os territórios que eles atuam.

O fluxo na web não para de crescer e é preciso responsabilidade dos usuários e das plataformas. Internet não pode ser uma terra de ninguém.

Por Rodrigo Castro

Debochado e inconveniente. Escritor, roteirista e designer de brincadeirinha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair da versão mobile