Categorias
Colunas

As pessoas não mudam mesmo

É incrível, as pessoas não mudam mesmo, né?

Farofeiros, farofeires e farofeiras, existe um Pensamento que sempre retorno para avaliar meu ponto de vista. Escrever na internet na quantidade e pelo tempo que escrevo precisava ter alguma vantagem e esta máquina do tempo é uma dádiva em diversos casos. Tudo isso para afirmar – ou reafirmar – que as pessoas não mudam mesmo.

Sempre fui ingênuo demais. Confiei e escutei quem não deveria diversas vezes durante toda minha vida. Não compensa aqui mencionar casos específicos nem soltar nomes ao vento, mas é interessante o quanto isso sempre vem a tona em determinados momentos da minha vida.

É raro, mas nomes do passado sempre saem de seus devidos túmulos para trazer algum mal-estar – mesmo que seja só uma lembrança. É triste lembrar que tive que andar com determinado tipo de pessoas para evoluir… Mas não se engane, essas pessoas também evoluíram dentro do que elas acreditam.

As pessoas não mudam mesmo - Hug Laurie - Avenue 5 - BLOG FAROFEIROS

Isso não torna as coisas menos assustadoras, mas mostra o óbvio, as pessoas não mudam. Elas apenas evoluem (ou não).

Se você acompanha o Farofeiros Cast pode ter visto que, em algum momento, comentei que fiquei surpreso em ver um ex-amigo na frente de quartel pedindo o fim do comunismo. Fiquei assustado sim, mas não posso dizer que fiquei surpreso.

Definitivamente aquela pessoa do meu passado não iria mudar para “a melhor”. Não havia motivos para ela largar sua vida confortável de libertinagem e recreação abusiva. Não me lembro de ter conversado de política com ele – fazem mais de 20 anos esse causo – mas seu estilo de vida e suas atitudes não poderiam ser tão diferentes das que vi. Mas isso é só um exemplo.

Deste passado distante não convivo com mais ninguém que não seja um familiar próximo. Uma das poucas coisas que sobraram dessa época, na verdade, é este sítio na rede mundial de computadores e um boneco do Stitch que nunca dei de presente para uma ex-namorada pois ela terminou comigo.

Mas, como disse, as pessoas não mudam mesmo. Enquanto evoluí DEMAIS na escrita meu filme favorito, Alta Fidelidade (2000), continua com um review capenga neste blog. Vida Marinha com Steve Zissou (2004) nem tive coragem de escrever nada até hoje. Meu livro favorito ainda é Belas Maldições, e eu o li em 2002… E, infelizmente, nada disso me fez entender naquela época que a minha percepção das pessoas poderia falhar.

Talvez a peça da cultura popular que deveria ter mais me marcado – só não me marcou mais por um caso de tentativa de engravidarem de mim (longa história) – é a música Ex-Amigo da banda Autoramas… Que foi uma das minhas bandas favoritas por muito tempo e, apensar de não ter deixado de gostar, não é mais minha favorita. Talvez o Roberto Maia esteja envolvido nisso, mas não tenho provas.

E se a vida para você é uma disputa…

Pensamento do Dia

Não sei a forma dos sonhos mas se você precisa de mais Pensamentos pode procurar pelo caos.

Por Rodrigo Castro

Debochado e inconveniente. Escritor, roteirista e designer de brincadeirinha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair da versão mobile