Categorias
Opinião

O plano perfeito falhou

Meses de planejamento, horas de pesquisa, teorias diversas estudadas, recontagem, avaliação de situações diversas, o plano perfeito elaborado com todo cuidado com uma equipe realmente comprometida e empenhada em colocar em prática todo o estudo visando o melhor resultado para todos. O problema é sempre que na prática as coisas são extremamente diferentes.

Recentemente elaborei o plano perfeito de verdade, tudo foi colocado como deveria ser colocado, a didática sugeria algo e a equipe seguia tudo o que deveria ser feito a risca. Tudo isso ruiu na primeira hora de execução do plano. Falhamos miseravelmente sem dó nem piedade e, de maneira quase grotesca, jogamos tudo para o alto e começamos a repensar o que deveria ser feito. No final saiu tudo bem, conseguimos reverter a situação mas a sensação de derrota por termo perdido tanto tempo e dinheiro em um plano perfeito que falhou me deixa irritado ainda.

Veja bem, foram meses de planejamento e nada foi simplesmente resolvido da noite para o dia, tivemos tempo para avaliar diversas situações e até pudemos escolher o melhor caminho a ser seguido, tudo isso não valeu de nada. Minha parcela neste plano foi grande, cerca de cinquenta por cento de todo o processo, e estudei muito. Na verdade não sei quantas horas perdi estudando diversos tópicos e situações, sem contar a preparação de tudo, dinheiro gasto, logística, além de um monte de outros termos que administradores adoram utilizar. E no final, falha.

Tudo isso criou um questionamento oportuno: por que planejei tudo por meses se no final tive que resolver tudo em cima da hora? De que valeram as horas de estudo, suor, dinheiro gasto, noites mal dormidas e café degustados em uma temperatura considerada gelada?

Estou emputecido comigo, nervoso com minha pessoa, puto com o individuo que vejo ao olhar no espelho. Toda minha técnica só servir para momentos de aperto não me agrada, não corresponde às minhas especialidades. Mas parece que é quem sou. O cara que é chamado para dar um jeito na merda generalizada em cima da hora. O bombeiro chamado só na emergência e nunca na prevenção de incêndios. Tony Stark deveria me contratar para resolver as merdas dele!

Talvez eu deva mudar de ramo, talvez eu deva fundar uma empresa de socorro expresso e cobrar uma pequena fortuna de quem está desesperado. Usar meu desespero para me beneficiar do desespero alheio, o capitalismo previa isso?

Pensamento do Dia

UNHÉ!

Primeira palavra de Pucckerz, a pequena filha do Rockerz e Jpucca.

Por Rodrigo Castro

Debochado, inconveniente, guru de bobajada, coach de piadas sem graça e sommelier de ironia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.