Menu fechado

Doors – The End

Tudo morre.

Você, eu, todos nesse planeta.

Nosso sol. Nossa galáxia e, eventualmente, o próprio universo. É assim que as coisas são.

É inevitável… e eu aceito isso.

O que eu não vou tolerar – oque eu acho inaceitável – é a aceleração anormal desse fim.

Não, isso não é a letra da música… mas é o trecho da fala de Reed Richards no gibi Novos Vingadores, escrito por Jonathan Hickman, que fez The End do Doors começar a tocar mentalmente de forma viral… O texto se repete em vários trechos da saga, em realidades alternativas e flashbacks enquanto incursões levam a dimensões colidirem umas com as outras. Acho que Jim Morrison lendo uma história dessas nem se sentiria tentado a usar drogas. É tudo sobre o fim inesperado e como isso não é tão ruim assim e como a jornada pode ser bem mais dolorida que a conclusão… afinal até Morrison ficava assustado pelas pessoas terem mais medo da morte do que da dor de viver… Já que tudo acaba e tudo morre, por que se preocupar? Preciso mesmo divagar como Morrison era poético?

O vídeo abaixo é uma versão ao vivo de um show do Hollywood Bowl em 1968, mas a conheci mesmo quando assisti Apocalypse Now ela choca a espectador logo na sequência de abertura do filme de Coppola de 1979… e vou lhes pedir um favor, fiquem longe das covers desse som, são todas péssimas!

Do a blue rock with us kids!

This is the end
Beautiful friend
This is the end
My only friend, the end

Of our elaborate plans, the end
Of everything that stands, the end
No safety or surprise, the end
I’ll never look into your eyes…again

Can you picture what will be
So limitless and free
Desperately in need…of some…stranger’s hand
In a…desperate land

Lost in a Roman…wilderness of pain
And all the children are insane
All the children are insane
Waiting for the summer rain, yeah

There’s danger on the edge of town
Ride the King’s highway, baby
Weird scenes inside the gold mine
Ride the highway west, baby

Ride the snake, ride the snake
To the lake, the ancient lake, baby
The snake is long, seven miles
Ride the snake…he’s old, and his skin is cold

The west is the best
The west is the best
Get here, and we’ll do the rest

The blue bus is callin’ us
The blue bus is callin’ us
Driver, where you taken’ us

The killer awoke before dawn, he put his boots on
He took a face from the ancient gallery
And he walked on down the hall
He went into the room where his sister lived, and…then he
Paid a visit to his brother, and then he
He walked on down the hall, and
And he came to a door…and he looked inside
Father, yes son, I want to kill you
Mother…I want to…fuck you

C’mon baby, take a chance with us
C’mon baby, take a chance with us
C’mon baby, take a chance with us
And meet me at the back of the blue bus
Doin’ a blue rock
On a blue bus
Doin’ a blue rock
C’mon, yeah

Kill, kill, kill, kill, kill, kill

This is the end
Beautiful friend
This is the end
My only friend, the end

It hurts to set you free
But you’ll never follow me
The end of laughter and soft lies
The end of nights we tried to die

This is the end

Curta nossa playlist do Na Escuta! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Scroll Up