Arquivo da Categoria: Na Escuta

O que anda Na Escuta dos Farofeiros.

Crystal Method – Busy Child

crystal-method

Ontem foi um dia especial… muito especial mesmo… tão especial que eu deveria ter decidido por uma trilha sonora, mas não consegui… mas tive uma referência interessante.

Acabei por ser encaminhado a uma peça de teatro onde certo momento começa uma briga entre capatazes caipiras, ao som de drum’n bass. Ria a vontade mas sabe que ficou bom, curti mesmo! Isso me fez lembrar que eu até gosto de música eletrônica, que me lembrou que já quis ser DJ, que me lembrou que fiz aulas de DJ e que meu primeiro contato com tal estilo com essa música do Crystal Method e, claro, foi em um videogame!

Busy Child aparece no jogo FIFA 98, mas aparece em filmes também como Blade II e Velozes e Furiosos 6, sem contar a série Bones… mas eu podia jurar que estava na trilha de Extreme G, jogo para Nintendo 64 que deixava eu e meus amiguinhos enjoados com os loopings “realistas”. Como todo bom eletrônico a letra é repetitiva, quando não ausente, mas achei engraçado colocar a letra de Busy Child aqui… quem sabe ajuda alguém. O “I guess I didn’t know” foi sampelado da música Know the Ledge de Eric B. & Rakim… que também não conheço.

… é… ontem foi muito loko.


Get busy with us kids

I guess I didn’t know.
I guess I didn’t know.

Get Busy Child.

Get Busy Child.

Get Busy Child.

Get Busy Child.
Get Busy Child.
Get Busy Child.
Get Busy Child.
Get Busy Child, get busy, get busy…
(I guess I did-…), get busy, get busy, get busy, get busy…
(I guess I did-…), get busy, get busy, get busy, get, get
(I guess I did-…), get, get, get, get, get, get, get busy.
Get, get, get, get, (I guess I did-…) get, get,
ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-get Busy Child.

I guess I didn’t know.
Get Busy Child.
I guess I did-
Get Busy Child.
I guess I didn’t know.
Get Busy Child.
I guess I did-

I guess I didn’t know.

I guess I did- I guess I did- I guess I did- I guess I didn’t know.
Get busy child.
I guess I did- I guess I did- I guess I didn’t know.
Get Busy Child.
I guess I did- I guess I did- I guess I didn’t know.

Get Busy Child.

Get Busy Child.

Get Busy Child.

Get Busy Child.

Get Busy Child.
Get Busy Child.
Get Busy Child.
Get Busy Child.
Get Busy Child.
I guess I didn’t know.
Get Busy Child.
Get busy.
I guess I didn’t know.
Get busy.
Get busy, get, (I guess I didn’t know…) get, get busy.
Get, get, get, get, get, get, get, get, get, get, get,
ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-ge-get Busy
Child.

Get Busy Child.

Get Busy Child.
I guess I didn’t know.
I guess I didn’t know.
Get Busy Child.
I guess I didn’t know.
I guess I didn’t know.

I guess I didn’t know.
I guess I didn’t know.
I guess I didn’t know.
I guess I didn’t know.
I guess I didn’t know.
I guess I did- I guess I didn’t know.
I guess I did- I guess I did- I guess I did- I guess I did- I guess I did- I
guess I didn’t know.
I guess I didn’t know.
I guess I didn’t know.
I guess I didn’t know.
I guess I didn’t know.
Get Busy Child.
I guess I didn’t know.
I guess I didn’t know.
Get Busy Child.
I guess I didn’t know.
I guess I didn’t know.
Get Busy Child.
I guess I didn’t know.
I guess I didn’t know.
Get Busy Child.
I guess I didn’t know.
I guess I didn’t know.

I guess I didn’t know.
I guess I didn’t know.
I guess I didn’t know.
I guess I didn’t know.

Curta nossa playlist do Na Escuta! 😉


Jon Spencer Blues Explosion – Talk About The Blues

jon-spencer

Em um remoto Natal onde a grana era curta e o CD era caro, onde o MP3 era algo inviável para a minha conexão de internet e eu apenas poderia ouvir a música através de caixas de som ridiculamente ruins com o nome Sound Blaster estampado… tinha sound, mas estava longe de ser blaster. Com sorte eu consegui assistir o clipe na MTV em algum programa mais alternativo e mais noturno… daqueles que só eu e mais umas trinta ou quarenta adolescentes podiam realmente assistir.

Tirado do álbum de 1994 a música Talk About The Blues foi a primeira música que ouvi de Jon Spencer Blues Explosion e realmente espalhou meus miolos por aí, apesar do grunge fervendo em minhas veias foi a primeira vez que pude ter contato com algo experimental que chegou a um veículo de comunicação em massa… Pode parecer besteira agora, mas para um garoto anti social ter noção de que coisas não necessariamente comerciais poderiam vender mudou minha cabeça, mesmo com Beck estourado e com Velvet Underground por todo lado. Talvez por ter sido um presente de natal essa porcaria tenha marcado… sem falar que o clipe é sensacional com as figuras de Wynona Ryder, Giovanni Ribisi e John C. Reilly, hoje atores até bem reconhecidos.

Don’t sing, talk with us kids!

Is this on?
Wooooooo

That’s right
I’m talking about the blues
I said I feel so good baby, ohh
I’m talking about the blues
Rolling Stone magazine
On the telephone baby

Talk about the blues,
Right now, ohh
Look out, yeah
That’s right ladies and gentlemen, thank you for letting me into your home
I’m gonna do it right now,
I’m gonna talk about the blues, ohh

Rolling Stone magazine, Coming on the phone, baby
Talk about that fashion, Haa!

Uh!
(I use the microphone like the drummer use a tree)

Hey, Spin Magazine wanna tell you where you at
But I ain’t getting with that or MTV

Make up your own mind ladies and gentlemen
(That’s bullshit man, you know what I’m talking about)

Do your own thing, Yeah
‘Cos that’s a rock and roll blues we did

Rock ‘n’ roll, yeah
Rock ‘n’ roll, get real, c’mon
Right now ladies and gentlemen, right now, right now
We’re gonna bring it on down, everybody, do it

Stay with me baby because I got something I want everybody to hear right now ladies and gentlemen

I don’t play no blues
I play rock and roll
That’s right the blues is number one
The blues is number one ladies and gentlemen but there’s something I gotta tell you right now

I do not play no blues, I do not play no blues
I play rock and roll
Get it
I play rock and roll
Yeah, that’s right baby, come on momma
Do it baby
I said I feel so good
I said I feel so good
I said I feel so good baby
I said I feel so motherfucking good
Oh

That’s right, whoo
Oh behalf of myself, Mr. Judah Bauer, Russell Simins and everybody at Rolling Stone magazine I’d like to say
Rock ‘n’ roll

Curta nossa playlist do Na Escuta! 😉


Wilco – Impossible Germany

wilco

Wilco é o tipo de banda que eu não escutaria se não tivesse um bom motivo… acontece que eu tenho um bom motivo e consegui até gostar de alguma coisa. Até até que a banda seria novata, é um tipo de som que está na moda hoje… mas não, foi formada em 1994 e é classificada como música country alternativa. Eu não sei você, mas se chamassem o que faço de country alternativo eu não iria gostar sendo uma banda de rock… acho… mesmo assim já indicados a seis prêmios Grammy!

A banda é conhecida também pela sua inconstância dos membros, sendo que somente o vocalista e o baixista são os únicos originais… tirando o empresário que aparentemente é o mesmo também…

Impossible Germany é a música favorita de uma bebedora de Guiness que conheço (e que vai me matar por ter escrito isso) e, olha só, posso colocar esse som facilmente em um playlist para se ouvir bebendo… e também em uma outra chamada “solos de guitarra que nunca conseguirei fazer ou memorizar”. Sim, continuo tocando MAL guitarra… ou seja, eu não entendi o sentido da música… MESMO…

Mas é legal!

 

Impossible sing with Germany unlikely Japan!

 

Impossible Germany
Unlikely Japan

Wherever you go
Wherever you land
I’ll say what this means to me
I’ll do what I can

Impossible Germany
Unlikely Japan

The fundamental problem
We all need to face
This is important
But I know you’re not listening
Oh I know you’re not listening

If this was still new to me
I wouldn’t understand

Impossible Germany
Unlikely Japan

But this is what love is for
To be out of place
Gorgeous and alone
Face to face

With no larger problems
That need to be erased
Nothing more important than to know
Someone’s listening
Now I know
You’ll be listening

Curta nossa playlist do Na Escuta! 😉


Raimundos – Eu Quero Ver o Oco

raimundos

Só a minha banda nacional favorita de todos os tempos… mas esse tempo bom acabou…

Sou grunge convicto mas da década de 90 Raimundos era mais que foda, rolava campeonato no colégio para ver quem conseguia cantar a música, você dava risada quando entendia finalmente uma letra… afinal naquela época, sem internet, você tinha que rezar para letra vir no encarte do CD pois não tinha em mais nenhum outro lugar. Não competiam com o grunge, mas estavam na playlist de qualquer roqueiro da época, fugindo do tradicional roque nacional mela cueca… mela cueca no mal sentido do termo.

O auge da banda se foi… Raimundos do nada perdeu o brilho… o vocalista mudou de religião e agora sei lá que merda ele faz, o que sobrou da banda ainda toca, mas não consegui gostar do que eles fazem hoje em dia. ISSO dava para chamar de roque nacional com orgulho… por isso mesmo que quero ver o oco!

Sing the oco with us kids

Fizera pouco em tê-lo deixado todo quebrado
Desfigurado, irreconhecível até pra mãe
– Mãe, olha só que legal, carro que eu ganhei no natal
Tu que me deu, disse: “Cuidado pra que não arranhe”

– Menino doido, tu quebrou até os friso
Tem noção do prejuízo?
Acho que o teu veio vai te matar
Os olhos dele esperando o carro do ano
Um modelo italiano
Que acabaram de inventar

Carrão da porra, tu pisava ele voava
Tu freava ele ancorava,
E eu lá dentro a me debater
No bate-bate com a cabeça no volante
Voei pelo, vidro da frente, a raiva preta eu não pude conter

Com o sangue quente,
Cortei a testa,
Quebrei os dente
E toda aquela gente
Peste! num vem ninguém me ajudar
Nem se mexiam, pior que isso eles riam
Teto preto, o tempo fecha, os ovo inflama, ora do pau cantar

Eu quero é ver o oco…
Só na mãozada eu deitei seis, mas detestei matar
Eu quero é ver o oco…
Sem controle, tocando fole, é hora de dançar

Meu ódio por automotores começou cedo
Depois que eu tranquei os dedo na porta dum opalão
Meu pai de dentro se ria que se mijava
Achou que o filho festejava, era dia de cosme e damião
Depois do dedo, foi o braço, a perna as costa
Tu duvida, bate aposta
Pois muitos vão lhe testemunhar
Tanta fratura que deixô a doutora louca
É pino até no céu da boca
Tu cansa só de tentar contar

Eu quero é ver o oco…
É pedir muito uma enfermeira vir me ajudar?
Eu quero é ver o oco…
Ó enfermeira, gente boa, vem me medicar

Eu quero é ver o oco…
Eu quero é ver o oco…

Curta nossa playlist do Na Escuta! 😉


Grinderman – Get It On

grinderman

A trilha dessa semana vem da genialidade sempre maluca de Nick Cave and the Bad Seeds… quer dizer, Grinderman não é Nick Cave and the Bad Seeds… mas é…

Não entendo quem monta uma segunda banda para fazer a mesma coisa que faz na primeira, Grinderman não existe mais, mas as músicas deles são tocadas sempre nos shows de Nick Cave and the Bad Seeds… talvez tenham que pagar direitos autorais para a outra banda, vai saber. Fiquei triste em notar também que não há nada oficial no YouTube referente a essa música, os shows gravados ou tem péssimo som ou péssima imagem… o que de um jeito ou de outro acaba com minha vontade de viver de tão ruim!

Classificado como um som pós punk australiano e britânico a gritaria de Nick Cave sempre é bem vinda em dias suaves, cheio de sangue, socos e glória… mesmo que eu pareça um personagem de algum jogo de videogame falando… Fato é que essa é uma das minhas músicas favoritas para se ouvir no fim do dia simplesmente por se poder gritar a vontade. Não há o risco de desafinar, é para gritar mesmo! A música é simplesmente uma agressão nos ouvidos do vizinho… adoro esse tipo de som!

Get it with us kids

I’ve gotta get up to get down and start all over again
Head on down to the basement and shout
Kick those white mice and black dogs out
Kick those white mice and baboons out
Kick those baboons and other motherfuckers out

And get it on, get it on
On the day that you got born

They had to dig him from the ground
They chipped him from the frozen snow
They dug his monkey fingers
But he had nowhere to go

They dug his pink hair curlers
They dug his sequined gown
They dug his Stratocaster
They dug his pornographic crown

He’s got some words of wisdom
I got some words of wisdom
He’s got some words of wisdom
I got some words of wisdom

Get it on, get it on
On the day that you got born

He crawled out of the ooze
He defied evolution
He had green flippers and sang the blues
He caused a revolution

He got in the British Weeklies
He got in the dailies too
He drank panther piss
And fucked the girls you’re probably married to

He’s got some words of wisdom
I got some words of wisdom
He’s got some words of wisdom
I got some words of wisdom

Get it on, get it on
On the day that you got born
Get it on, get it on, alright
Get it on, get it on

You gotta do The Vaughan (do The Vaughan)
Yeah, papa’s down (papa’s down)
Yeah, sweets is sweet (sweets is sweet)
Yeah, Tex is on (Tex is on)

And then one day he went away
His neighbor claimed he’d shot him
If he hadn’t have disappeared
The Tax man would have got him

Yeah, but before I leave
I call out from the storm
For those who gave their lives
So we could get it on

Get it on, get it on
On the day that you got born
Get it on, get it on
Get it on, get it on

Curta nossa playlist do Na Escuta! 😉


Hoodoo Gurus – Leilani

hoodoo-gurus

Outro dia cheguei para meus amiguinhos breguenaiteiros indagando sobre canções… estava sem muito ânimo para buscar mentalmente algo bacana para abrilhantar sua quarta-feira… Aí o Dockhorn fez surgir das cinzas Hoodoo Gurus! Banda velha, boa, que todo mundo conhece uma ou duas músicas… mas muita pouca gente tem o disco… ou cd… não deve ter mp3 deles (zoeira). E, para ser mais atual ainda, a música foi inspirada em um filme que contava a história de Leilani… em 1951…

Leilani especialmente é de 1982, o que deixa tudo mais velho ao dizer que consigo lembrar da música tocando em algum momento da minha infância… provavelmente por algum dos vizinhos roqueiros e drogados… mas tirando isso não tenho grandes referências, apesar de gostar da banda. Hoodoo Gurus é uma daquelas bandas que sempre tocam nas rádios de madrugada, depois que tudo que é comercial já foi tocado a exaustão.

… neste vídeo clipe da época o baterista está tocando dormindo, mas faz parte da magia da época… e do vulcão que os cabelos pretos de Leilani acenderam.

Play in a volcano with us kids!

Somewhere on a South Pacific island
Sits a young man staring at the surf
His native girlfriend died a death quite violent
A tribal sacrifice made to the earth

She was brown, her hair was black, her eyes were blue
A chief’s daughter, Leilani was her name
She and her young man made a handsome two
But lava tore them both apart again

Leilani, don’t go to the volcano
(He’d say)

They were saving for a little hut
She collected sea shells every day
Every night, they’d share a cigarette
But the ancient, angry Gods got in the way

Leilani, don’t go to the volcano
(He’d plead)

Katoomba, hey, Macumbah, ho
Umgawah, hey, ho, hey, eh, ah
Leilani, crula, bula, ulladulla, wok, a, tai
Aba, laba, laba, hut

Leilani, nevageta, huta, tera, cota, tile
Aba, laba, laba, hut
Umgawah

Still the young man sits upon the beach
He’s staring misty eyed out into space
He’s thinking about his girlfriend
(Of late, deceased)
At least her death had purpose, now his life is a waste

Leilani, don’t go to the volcano
(He’d beg her)

Curta nossa playlist do Na Escuta! 😉


New Order – Ceremony

new-order

Nem sei o por que eu demorei tanto para falar de New Order (ou Joy Division?) por aqui já que é uma das bandas que mais faz trilha sonora em minha vida… Dentre várias que passaram Ceremony é a música que mais ecoa na minha cabeça, a letra eu fui entender muito tempo depois e conhecer a música e, confesso, fez toda diferença. Já me falaram que a música é dançante… mas nunca saí dançando não… a letra eu gosto muito, acho que é uma das músicas que melhor define o que o New Order faz.

Para quem não sabe o New Order é o Joy Division sem Ian Curtis e Ceremony foi uma música inacabada devido sua morte… Foram gravadas três versões da música, sendo que uma foi lançada em março de 1981 pelo Joy Division e outra em setembro do mesmo ano pelo New Order. A terceira foi lançada recentemente em vinil em série limitadíssima de 800 cópias.. e é claro que eu não tenho uma.

A banda esteve no Lolapalloza Brasil 2014 e, olha só, tocaram Ceremony para minha alegria!

Celebrate with us kids!

This is why events unnerve me,
They find it all, a different story,
Notice whom for wheels are turning,
Turn again and turn towards this time,
All she ask’s the strength to hold me,
Then again the same old story,
World will travel, oh so quickly,
Travel first and lean towards this time.

Oh, I’ll break them down, no mercy shown,
Heaven knows, it’s got to be this time,
Watching her, these things she said,
The times she cried,
Too frail to wake this time.

Oh I’ll break them down, no mercy shown
Heaven knows, it’s got to be this time,
Avenues all lined with trees,
Picture me and then you start watching,
Watching forever, forever,
Watching love grow, forever,
Letting me know, forever.

Curta nossa playlist do Na Escuta! 😉


Pata de Elefante – Um Olho no Fósforo, Outro na Fagulha

pata-de-elefante

Pata de Elefante é um belo exemplo de banda que conheci tardiamente… posso até ter escutado algo antes, a banda participava de diversos festivais além de ter diversas músicas como trilha sonora, porém, hoje a banda está desfeita… e só agora a conheci… é uma merda não? Aparentemente uma briga interna culminou no fim, não se sabe se a motivação da briga… mas é triste para a música nacional Um Olho no Fósforo, Outro na Fagulha. A música instrumental, sem vocais, é extremamente pouco conhecida… o que é triste já que não é preciso ter letra ou uma voz para dar forma musical a um sentimento ou pensamento. Mesmo sem saber qual é o sentimento que queriam trazer com esta música não dá para deixar de gostar!

A curiosidade do clipe fica por conta do cenário, fiquei surpreso em reconhecer o Parque Farroupilha em Porto Alegre, RS… só fazem uns 15 anos que não vou lá e tá a mesma coisa! Bateu saudade do minuano na cara logo cedo.

Fam fam famfam with us kids!

Curta nossa playlist do Na Escuta! 😉


Live – Heaven

live

Mais que atrasado sós e eu estivesse no… céu…

Conheci uma pessoa incrível a uns dias… a conversa vai bem, temos muito em comum… tirando pontos de vista político e musicais. Sabe quando você se identifica com a pessoa mas a trilha sonora que passa na sua cabeça é TOTALMENTE diferente da que passa na sua? Pois é, nem tive coragem de postar aqui o que ela indicou inicialmente, mas depois de muito trabalho chegou uma indicação que se encaixa, não é das melhores, mas é melhor do que as outras que ela indicou…

Live não é uma banda novata, tem poucos singles de sucesso e na maioria das vezes, vendem a imagem de paz e amor… mas tudo que eu consigo imaginar são as músicas deles usadas em comerciais “radicais” antigos de cigarros… Mas o que vale mesmo é que é um som bacana, de uma banda antiga e que vocês, jovens pirralhos emocores, deveriam conhecer… mesmo que a música possa ser considerada um rock gospel… acho…

Look with us kids… this one was terrible, I know…

You don’t need no friends
Get back your faith again
You have the power to believe
Another dissident
Take back your evidence
It has no power to deceive

I’ll believe it when I see it, for myself

I don’t need no one to tell me about heaven
I look at my daughter, and I believe.
I don’t need no proof when it comes to God and truth
I can see the sunset and I perceive

I sit with them all night
Everything they say is right
But in the morning they were wrong
I’ll be right by your side
Come hell or water high
Down any road you choose to roam

I’ll believe it when I see it for myself

I don’t need no one to tell me about heaven
I look at my daughter, and I believe.
I don’t need no proof when it comes to God and truth
I can see the sunset and I perceive, yeah

Darling, I believe, Oh Lord
Sometimes it’s hard to breathe, Lord
At the bottom of the sea, yeah yeah

I’ll believe it when I see it for myself

I don’t need no one to tell me about heaven
I look at my daughter, and I believe.
I don’t need no proof when it comes to God and truth
I can see the sunset and I perceive

I don’t need no one to tell me about heaven
I look at my daughter, and I believe.
I don’t need no proof when it comes to God and truth
I can see the sunset
I can see the sunset
I can see the sunset
I don’t need no one
Ohhhh
I don’t need no one
I don’t need no one
I don’t need no one
To tell me about heaven
I believe
I believe it, yeah

Curta nossa playlist do Na Escuta! 😉


James Franco & Seth Rogen – Bound 2

bound2

Odeio a porcaria do Kanye West… o cara é um imbecil e a música dele não presta… Porém, James Franco e Seth Rogen arrumaram uma ótima utilidade para a música Bound 2.

Em um dia tedioso de filmagens para o filme The Interview os dois resolveram filmar sua versão romântica e sentimental… mostrando um gordinho pelado e dois caras se beijando em cima de uma moto. Falei que foi um bom jeito de usar a música de merda… na boa, se eu quisesse ser romântico eu nunca diria uma frase inteira dessa poesia de merda… é o tipo de música de amor que só um cafetão diria para uma puta… bom, talvez seja essa a intenção mesmo.

E eu sei que pisei na jaca hoje tá… Foi de propósito!

Don’t sing this shit kids!

I know you’re tired of loving, of loving
With nobody to love, nobody, nobody
Just grab somebody, no leavin’ this party
With nobody to love, nobody, nobody (Uh-huh, honey)

All them other niggas lame, and you know it now
When a real nigga hold you down, you supposed to drown
Bound!

Bound to fall in love
Bound!
Bound to fall in love (Uh-huh, honey)

What you doing in the club on a Thursday?
She say she only here for her girl birthday
They ordered champagne but still look thirsty
Rock Forever 21 but just turned thirty
I know I got a bad reputation
Walking ’round, always mad reputation
Leave a pretty girl sad reputation
Start a Fight Club, Brad reputation
I turned the nightclub out of the basement
I’ll turn the plane ’round, your ass keep complaining
How you gon’ be mad on vacation?
Dutty wining ’round all these Jamaicans
Uh, this that prom shit
This that what we do, don’t tell your mom shit
This that red cup, all on the lawn shit
Got a fresh cut, straight out the salon, bitch

I know you’re tired of loving, of loving
With nobody to love, nobody, nobody (Uh-huh, honey)

Close your eyes and let the word paint a thousand pictures
One good girl is worth a thousand bitches
Bound!

Bound to fall in love
Bound to fall in love (Uh-huh, honey)

I wanna fuck you hard on the sink
After that, give you something to drink
Step back, can’t get spunk on the mink
I mean damn, what would Jeromey Romey Romey Rome think?
Hey, you remember where we first met?
Okay, I don’t remember where we first met
But hey, admitting is the first step
And hey, you know ain’t nobody perfect
And I know, with the hoes I got the worst rep
But hey, their backstroke I’m tryna perfect
And hey, ayo, we made it, Thanksgiving
So hey, maybe we can make it to Christmas
She asked me what I wished for on the wishlist
Have you ever asked your bitch for other bitches?
Maybe we could still make it to the church steps
But first, you gon’ remember how to forget
After all these long-ass verses
I’m tired, you tired, Jesus wept

I know you’re tired of loving, of loving
With nobody to love, nobody, nobody
Just grab somebody, no leaving this party
With nobody to love, nobody, nobody (Uh-huh, honey)

Jerome’s in the house, watch your mouth
Jerome’s in the house, watch your mouth
Bound!

Bound to fall in love
Bound to fall in love (Uh-huh, honey)

Curta nossa playlist do Na Escuta! 😉


Asian Dub Foundation – Real Great Britain

asian-dub-foudation

Faz alguns dias estava conversando com uma amiga sobre músicas que gosto que são estranhas… lembrei logo de várias, mas houve uma primeira vez que ouvi algo e realmente me assustei em gostar, foi Real Great Britain do Asian Dub Foundation.

Diretamente da era onde eu gastava meu dinheiro com cerveja e CDs… lembro de gostar de ouvir o som bem alto e, mesmo que envergonhado, tentava acompanhar a letra. Meu inglês na época era pior do que é hoje, mas já dava para perceber que até quem tem inglês avançado… ou quem nasceu falando… deve ser complicado entender tantas palavras rápidas desse jeito e com um sotaque indiano carregadíssimo! Mas é claro que isso não afeta a qualidade do som dos caras, mesmo que Asian Dub Foundation fosse desconhecido na época.

Essa música é do álbum de 2000 e reflete bem o clima daquela época, todos procurando igualdade no inicio de um novo milênio… era bem mais comum isso naquela época. Acho que se ainda existir o termo world music eles seriam uma ótima referência, uma banda britânica com integrantes de todo lugar, principalmente da asia, tocando ritmos como dub (acho que tem ska também), em inglês… bem globalizado não?

Bacama ná with us kids!

Union jack and union jill
Back up and down the same old hill
Sell the flag to the youths
But who swallows the bill
“murdoch she wrote”
Him have his hand in the till

Blairful of thatcher
Stuck on the fourty five
The suits have changed
But the old ties survive
New britannia cool
Who are you trying to fool?
Behind your fashion-tashion I see nothing at all

Care for the commodity
Cuts the nation into three
Rich pickings for the first
Bottom third you never see
While middle england keeps swinging its
Loyalty
No concern for the future
Just with dead royalty

So will the real, the real great britan
Step forward
This is the national identity parade
Shoe gazer nation forever looking
Backwards
Time to reject the sixties charade

Not enough schools
Not enough homes
Just “phony care” in his millennium dome
More prime cuts than beef on the bone
And there’s too many questions you’re
Not answering tone

Union jack and union jill
Back up and down the same old hill
Sell the flag to the youths
But who swallows the bill
“murdoch she wrote”
Him have his hand in the till

So will the real, the real great britan
Step forward
This is the national identity parade
Shoe gazer nation forever looking
Backwards
Time to reject the sixties charade

Curta nossa playlist do Na Escuta! 😉


Karen O – The Moon Song

karen-o

The Moon Song foi escrita por Karen O, vocalista e letrista da banda Yeah Yeah Yeahs, e Spike Jonze para seu filme Ela, que concorreu a diversos prêmios no Oscars 2014, incluindo o de Melhor Canção Original… mas perdeu para a musiquinha de princesa de filme da Disney… blergh! Ela já é um puta filme legal que, em breve (espero), estarei resenhando por aqui… e a música além de boa, durante o filme ela é executada pelos protagonistas, Joaquin Fenix no ukulele e a voz (gostosa) da (gostosa) Scarlett Johanson (gostosa)… 

A música é bonitinha, simples e bem rápida, o que deixa fácil para qualquer marmanjo aprender a tocar para impressionar aquela pessoinha especial. Hm.

Não gostei da maioria das execuções da música por aí, violões demais ou distorcidos demais acabaram com a música na minha opinião. Gostei mesmo é da versão crua, mais parecida mesmo com a que vemos no filme. É claro que Karen O dá um show a parte, conta a lenda que a música durou quase dez anos para ser escrita com Jonze… pelo visto chegou na hora certa… mas no Oscars poderia ter rolado o dueto ao vivo do filme hein?

Abaixo você vê o “clipe” oficial da música… com cenas do filme e a voz de Scarlett Johanson

Abaixo a versão oficial, crua e com a voz de Karen O.

Lets go to the moon kids!

I’m lying on the moon
My dear, I’ll be there soon
It’s a quiet starry place
Time’s we’re swallowed up
In space we’re here a million miles away

There’s things I wish I knew
There’s no thing I’d keep from you
It’s a dark and shiny place
But with you my dear
I’m safe and we’re a million miles away

We’re lying on the moon
It’s a perfect afternoon
Your shadow follows me all day
Making sure that I’m
Okay and we’re a million miles away

Curta nossa playlist do Na Escuta! 😉


Blue Swede – Hooked on a Feeling

blue-swede

A música mais infame da última semana não é infame só pela última semana…

Se não viu, veja o trailer de Guardiões da Galáxia, lá o personagem Star Lord tem seu walkman (sim, aquela coisa velha) confiscado e a fita dentro dele começa a tocar essa música… O sucesso de 1974 já foi revivido algumas vezes… A música da banda sueca Blue Swede não é só trilha deste filme, é trilha também do excelente Cães de Aluguel, além de fazer parte da trilha da série Ally McBeal… mas também já foi regravada até pelo David Hasselhoff. Tenso? Clique aqui e veja o quanto é tenso!

Em Cães de Aluguel a música seria da época… e não combina bem com a violência toda… Talvez combine com Ally McBeal e todo o nonsense envolvido na série… mas no geral é uma música confusa que só me arremete ao absurdo de uma comédia mesmo. Não pergunte o por quê mas não consigo levar essa música a sério… Hooked on a Feeling não tem nada de romântica ou sentimental, é quase um hino para o canibalismo. Será que é por isso que gostei?

… será essa a trilha sonora de minha vida? :(

Feel with us kids!

Ooga-Chaka Ooga-Ooga
Ooga-Chaka Ooga-Ooga
Ooga-Chaka Ooga-Ooga
Ooga-Chaka Ooga-Ooga
Ooga-Chaka Ooga-Ooga

I can’t stop this feeling
Deep inside of me
Girl, you just don’t realize
What you do to me

When you hold me
In your arms so tight
You let me know
Everything’s all right

I’m hooked on a feeling
I’m high on believing
That you’re in love with me

Lips as sweet as candy
Its taste is on my mind
Girl, you got me thirsty
For another cup o’ wine

Got a bug from you girl
But I don’t need no cure
I’ll just stay a victim
If I can for sure

All the good love
When we’re all alone
Keep it up girl
Yeah, you turn me on

I’m hooked on a feeling
I’m high on believing
That you’re in love with me

All the good love
When we’re all alone
Keep it up girl
Yeah, you turn me on

I’m hooked on a feeling
I’m high on believing
That you’re in love with me

I’m hooked on a feeling
And I’m high on believing
That you’re in love with me

I said I’m hooked on a feeling
And I’m high on believing
That you’re in love with me
I’m hooked on a feeling

Curta nossa playlist do Na Escuta! 😉


The Who – Baba O’Riley

the-who

Não… as pessoas não mudam… os gostos podem mudar, as vontades, mas na essência elas são as mesmas de dez ou vinte anos atrás… people don’t change.

Apesar de Baba O’Riley do The Who datar de 1971 e ser uma música icônica da banda inglesa só tomei ciência dela assistindo o episódio 14 da primeira temporada de minha série favorita, House M.D... mesmo que o final tenha sido uma merda não posso deixar de gostar de tudo… E não, a música não tem nada filosoficamente ligada a cena… o médico fanfarrão só aparece fazendo o que ele faz melhor, matando o tempo fingindo que está em um show de rock enquanto o resto do mundo quer que ele trabalhe.

Pensando bem até que combina a letra… pode ser um teenage wasteland não?

… e surpreendentemente a música de cinco minutos tem uma letra extremamente pequena… dizem por aí que originalmente a música tinha trinta minutos cara!

Baba with us kids!

Out here in the fields
I fight for my meals
I get my back into my living
I don’t need to fight
To prove I’m right
I don’t need to be forgiven

Don’t cry
Don’t raise your eye
It’s only teenage wasteland

Sally, take my hand
Travel south crossland
Put out the fire
Don’t look past my shoulder

The exodus is here
The happy ones are near
Let’s get together
Before we get much older

Teenage wasteland
It’s only a teenage wasteland
Teenage wasteland
Oh, oh
Teenage wasteland
They’re all wasted!

Curta nossa playlist do Na Escuta! 😉


Jon Foreman – Love Isn’t Made

jon-foreman

Nesta semana tenho uma história para contar… só que nem do músico é… aliás, nem o conhecia, tão pouco sua música que, apesar de melosa demais para meu gosto nestes dias estranhos, é legalzinha.

Uma querida amiga finalmente me convenceu a fazer um desenho dela… depois de choramingar por meses cedi e comecei a fazer um retrato enorme, um dos maiores retratos que já fiz… estou longe de ser profissional, sou um amador meia boca na verdade mas sou esforçado. Depois de meses tentando aperfeiçoar o presente, afinal, apesar de mala a moça dona do desenho é alguém bem especial… numa época em que fui bem chutado por algumas mulheres que gostei bastante… BEM chutado amiguinhos.

Acontece é que depois de meses finalmente enviei o presente a minha amiga e o pior aconteceu… o tubo que se encontrava o desenho foi danificado permanentemente. Isso quer dizer que o desenho gigante aquarelado que demorei meses para fazer fora perdido para sempre e eu nem tirei uma foto decente dele.. já estou fazendo outro inclusive… vamos ver no que dá.

Enquanto fico batendo minha cabeça contra a mesa ofendendo deuses de todas as religiões que conheço a minha amiga fica jogando em seus perfis em redes sociais músicas bonitinhas do Jon ForemanLove Isn’t Made é uma pequena homenagem ao desenho que foi destruído por uma caixa gigante de cadernos da Hello Kitty.

Sing with us kids!

An hour ago
I felt so low
I almost drowned
Wandering around
This messed up town
It’s pretty, it’s only
I felt so lonely
And I knew all night
I’ll never find a face
Can understand how much
I miss you now

So I arrive
At the conclusion
Love isn’t made
Love doesn’t sell or pay
But we buy
And sell our love away

Escaped to the water
I stared at the stars
Within the sky
I was lying on my back
With my fingers in the sand
Alone in my only
It sounds so phony
And yet here I am
It’s funny how
Life is seldom what we plan

So I arrive
At the conclusion
Love isn’t made
Love doesn’t sell or pay
But we buy
And sell our love away
Don’t let the pain
Bring you down
Bring you down
Bring you down

Curta nossa playlist do Na Escuta! 😉